Arquivo da tag: Vila Fanny

Vila Fanny e Grêmio Ipiranga vencem em tarde de 14 gols no Parque Linear

Vitórias sobre Palmeirinha e Santíssima Trindade, respectivamente, deixam Vila Fanny e Grêmio Ipiranga dentro da luta por uma vaga nas semifinais

Vitórias sobre Palmeirinha e Santíssima Trindade, respectivamente, deixam Vila Fanny e Grêmio Ipiranga dentro da luta por uma vaga nas semifinais. dos times que jogaram no Parque Linear, Palmeirinha também segue na briga

Em uma tarde de sábado (23) cheia de gols no Estádio Parque Linear, Vila Fanny e Grêmio Ipiranga se saíram melhor que Palmeirinha e Santíssima Trindade, respectivamente, conquistando importantes vitórias no Grupo A da Copa de Futebol Amador da Capital.

As coincidências na rodada dupla de 14 gols foram os placares de 5 a 2, mas terminam aí em partidas com histórias distintas. Com nove pontos, o Vila Fanny depende apenas dele para se classificar. Com seis pontos, Grêmio Ipiranga e Palmeirinha têm confronto direto e precisam torcer contra o Fanny na última rodada. Zerado em número de pontos, o Santíssima Trindade apenas cumpre tabela.

A Copa de Futebol Amador pula uma semana e os times voltam a campo no dia 7 de maio. Às 14 horas, no Octávio Sílvio Nicco, o Santíssima Trindade cumpre tabela contra o Capão Raso. É o mesmo horário do duelo entre Grêmio Ipiranga e Palmeirinha na Arena Vermelha. Às 16 horas, no mesmo estádio, o Vila Fanny joga por um empate para se classificar diante do Novo Mundo.

Virada à moda Fanny

Em quatro jogos, o Vila Fanny saiu atrás em três deles. E agora conquistou sua segunda vitória de virada. Desta vez, o alvirrubro tomou dois gols e conseguiu uma recuperação em um expressivo 5 a 2. Curiosamente, ninguém fez mais que um gol na partida.

Na primeira meia  hora, o Palmeirinha, que tem praticamente a mesma base desde 2000 (isso mesmo, você não está lendo errado), dominou. Aos 19 minutos, Nícolas acertou um belo chute na gaveta de Flávio. A equipe do Tatuquara aumentou aos 25 minutos com Dolinha completando jogada à meia altura. Parecia que o Palmeirinha iria fazer uma goleada, mostrando-se perigoso em lances de ataque.

Porém, o vento começou a virar aos 31 minutos, quando Guelo aproveitou cruzamento e diminuiu para o Vila Fanny. O empate veio logo depois aos 33 minutos, com o zagueiro-artilheiro Lela, aproveitando jogada de cabeça.

O segundo tempo começou com o vento realmente a favor do Vila Fanny, que começou a usar isso a favor em cobranças de escanteio que deram trabalho ao goleiro Anderson. A virada, no entanto, veio por meio de outro zagueiro, Elísio, aos 16 minutos. Anderson ampliou aos 40 e Coutinho, de pênalti, fechou o placar em 5 a 2.

“Foi uma vitória importante. Nós só buscávamos os três pontos para ficar mais tranquilo. Conseguimos dar volta ao jogo. A equipe teve tranquilidade e conseguiu dar volta no placar”, disse Guelo do Vila Fanny.

“Nosso time cansou, só tínhamos cinco titulares, sem pessoal mais experiente. Só tínhamos um reserva e o pessoal mais jovem não sabe dosar o jogo. Agora é levantar a cabeça e tentar buscar algo no último jogo. Ainda temos esperança. Depende de nós ganharmos e o Novo Mundo ganhar. Só depende de nós e vamos lutar até o fim”, declarou Dolinha do Palmeirinha.

A sina continua

Um time que marca dez gols em quatro jogos tem uma boa marca, porém tudo se perde quando ele toma 17 gols nestes mesmos duelos. Aí está o drama do Santíssima Trindade, que tem uma rodada e depois uma intertemporada para tentar equilibrar seu time para a disputada Segundona da Suburbana. O Grêmio Ipiranga, que nada ou pouco tem a ver com isso, aproveitou e venceu bem por 5 a 2, mantendo suas chances de classificação.

O jogo começou com muitos erros de passe e finalização. O Santíssima Trindade mostrava dificuldades na saída de bola e o Grêmio Ipiranga esteve bastante ansioso até conseguir marcar. O gol inaugural foi de Cafu, aos 43 minutos da etapa inicial.

No segundo tempo, foi a vez do atacante Sena, do Grêmio Ipiranga brilhar. Ele aumentou o placar com dois gols, aos 10 e aos 23 minutos. O Trindade respondeu aos 30 minutos com Leandro, de pênalti, e com Queen aos 40 minutos, encostando no placar. Mas o time local tomou alguns baldes de água fria perto do fim, quando pressionava, com gols de Geovane, aos 42, e de Leandro, o do Grêmio Ipiranga, aos 47, finalizando o marcador.

“A gente sabia que tinha chance e veio determinado buscar a vitória. Qualquer um porcento, a gente briga. Não estamos na competição à toa. Viemos de dois resultados negativos e viemos aqui para entrar na briga”, afirmou Sena, autor de dois gols para o time do Grêmio Ipiranga.

“A gente desde o primeiro jogo o ataque bem, mas a defesa ainda está sem entrosamento. Vamos tentar acertar a defesa do time. Vamos arrumar e preparar para a Suburbana”, concluiu Leandro do Santíssima Trindade.

Bolada intermunicipal

Localizado muito próximo à divisa com Pinhais, o Estádio Parque Linear, casa do Santíssima Trindade, permite algo anetódico: que a bola possa ser chutada de Curitiba, cruzar o Rio Atuba e cair em outro município.

Fim de semana no parque

Como o nome sugere, o estádio fica anexo a um parque construído para preservar a mata ciliar do Atuba e, mais abaixo, o Iguaçu, que nasce das águas do próprio Atuba e do Iraí. Como todo bom fim de semana ensolarado, havia perto do campo gente empinando pipa, crianças pulando em uma cama elástica e até um palco montado ali perto.

Ficha Técnica das partidas:

Rodada dupla no Estádio Parque Linear, Cajuru, Curitiba

Vila Fanny 5 x 2 Palmeirinha

Vila Fanny: Flávio; Lela, Elísio, Anderson; Buiú (Walisson), Anderson (Marquinhos), Cicinho (Alex), Guelo e Bruninho; Leco (Géder) e Coutinho. Técnico: Nego.

Palmeirinha: Anderson; Thiago, Valdecir e Polaco; Jô (Guilherme), Celo, Romarinho e Nicolas; Dolinha, Marquinhos e Nicolas. Técnico: Daniel Jorge.

Arbitragem: Marcos William C. Cabreira, Alessandro Antonio Gonçalves e Alexsandro Euzebio da Silva.

Gols: Nicolas (PGG, aos 19’/1.º), Dolinha (PGG, aos 25’/1.º), Guelo (VFA, aos 31’/1.º), Lela (VFA, aos 33’/1.º), Elísio (VFA, aos 16’/2.º), Anderson (VFA, aos 40’/2.º), Coutinho (VFA, aos 45’/2.º).

Cartões Amarelos: Anderson (VFA); Jô, Carlão, Dolinha, Nícolas (PGG)

Santíssima Trindade 2 x 5 Grêmio Ipiranga

Santíssima Trindade: Eliseu (Juliano); Bahia, Dill, Queen e Robson; Tom (Alessandro), Marcão (Marcos), Chicletinho (Guilherme) e Erick; Leandro e Euller (Waltinho, depois Wesley). Técnico: Jean Pierre.

Grêmio Ipiranga: Thiago; Moura, Daniclei, Anderson e Flavinho; Clé (Jonathan), Laguna (Leandro), Gustavo e Fabinho (Geovane); Sena e Cafu (William). Técnico: Gian Balaban.

Arbitragem: Adelmo Ferreira dos Santos, Alessandro Antonio Gonçalves e Alexsandro Euzebio da Silva.

Gols: Cafu (GRI, aos 43’/1.º), Sena (GRI, aos 10’/2.º, aos 23’/2.º), Leandro (STR, aos 30’/2.º), Queen (STR, aos 40’/2.º), Geovane (GRI, aos 42’/2.º), Leandro (GRI, aos 47’/2.º).

Cartões Amarelos: Robson, Dill, Marcão (STR); Gustavo (GRI).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Vila Sandra e Capão Raso se reabilitam na Copa de Futebol Amador

Após derrotas em suas estreias, Vila Sandra (E) e Capão Raso (D) reencontram a vitória na Copa de Futebol Amador

Após derrotas em suas estreias, Vila Sandra (E) e Capão Raso (D) reencontram a vitória na Copa de Futebol Amador

A rodada deste sábado (9) no José Carlos de Oliveira Sobrinho marcou a reabilitação de duas equipes na Copa de Futebol Amador da Capital. Pelo Grupo B, na preliminar, o Vila Sandra bateu o Imperial em um bom jogo por 3 a 1. Pelo Grupo A, no jogo de fundo, o Capão Raso suou para bater o Vila Fanny por 2 a 1 em uma partida em que chegou a ter dois jogadores a mais em campo.

Agora, no Grupo A, o Vila Fanny caiu para a segunda posição, com três pontos, saldo zero e cinco gols marcados, números rigorosamente iguais ao Palmeirinha, com o Capão Raso na quarta colocação com mesmo número de pontos e mesmo saldo, mas apenas três gols marcados. No Grupo B, o Vila Sandra é o quarto colocado com três pontos, enquanto que o Imperial é o quinto colocado com nenhum ponto e saldo -3.

Os times envolvidos nesta rodada dupla voltam a campo no próximo sábado, dia 16. O Capão Raso joga às 14 horas contra o Palmeirinha na Arena Vermelha. É o mesmo horário de União Ahu x Vila Sandra no XV de Agosto e de Vila Fanny x Grêmio Ipiranga no Octávio Sílvio Nicco, estádio que recebe às 16 horas o duelo entre o Imperial e o Sergipe.

Vitória pelos pés de Maranhão

No primeiro jogo da tarde, Vila Sandra e Imperial vinham de derrotas na estreia e fizeram um bom espetáculo com vitória alvinegra por 3 a 1.

O placar foi aberto aos 19 minutos da etapa inicial pelo Vila Sandra, quando Pedro lançou Adriano e o camisa 11 ganhou na velocidade da defesa para bater na saída de Júlio. O empate veio ainda na primeira etapa aos 38 minutos, com o zagueiro Diego aproveitando de cabeça o rebote da falta batida por Roberto no travessão.

No primeiro minuto da segunda etapa, Pedro do Vila Sandra e Cairo do Imperial trocaram gentilezas em forma de cotoveladas e sopapos e acabaram expulsos pelo árbitro Rodrigo Posser Borges. Com dez para cada lado, o técnico do Vila Sandra, Jackson Queiroz, resolveu apostar na velocidade do jovem Maranhão, de 21 anos. O baixinho entrou aos 14 minutos e passou a infernizar a defesa do Imperial especialmente em bolas esticadas.

E foi com Maranhão, aos 23 minutos, que o Vila Sandra voltou a liderar o placar. O camisa 34 arrancou pela direita, fez um carnaval na defesa e bateu na saída de Coxinha. Com isso, o Imperial passou a pressionar, dando o contra-ataque ao Vila Sandra, do jeito que o Maranhão gosta. Foi assim aos 46 minutos que o placar foi fechado: Maranhão novamente arrancou pela direita, limpou a defesa e deixou Robinho livre para marcar.

“Graças a Deus, time que a gente tem passando por este sufoco. Entramos e demos conta do jogo, como os que entraram. Todos jogaram bem e vamos com mais vantagem na próxima partida”, afirmou Maranhão, festejado pela barulhenta torcida do Vila Sandra após o apito final.

Do lado do Imperial, uma situação curiosa. O técnico Pastor vestiu uniforme de jogo. Estava inscrito e inclusive atuou na estreia. Desta vez, ficou apenas do lado do campo vestindo a camisa 16. “[Vida de quase entrar em campo e ficar como treinador] É uma vida boa, jogo é isso. Eles foram felizes, tiveram três oportunidades e concluíram. Futebol é isso, um dia a gente ganha e outro a gente perde, mas o time não jogou bem dentro do que pode jogar, mas faltou perna, tão voltando agora. Nosso time cansou no segundo tempo. Ainda dá para salvar, se vencermos os três jogos, nós estamos dentro”, disse o jogador/treinador do time do Mossunguê.

Festival de cartões no jogo de fundo

Treze cartões, contando com os dois amarelos que viraram vermelhos: foi o balanço disciplinar da vitória do Capão Raso sobre o Vila Fanny por 2 a 1. Fora as punições disciplinares, foi um jogo bem disputado, mesmo no segundo tempo, quando o Fanny ficou numericamente inferiorizado diante do time da casa, mas não se acovardou, dando sufoco no Tricolor de Aço.

Os primeiros minutos de jogo foram marcados por muitos erros de passe e ansiedade dos times. Tanto Vila Fanny quanto Capão Raso procuravam esticar o jogo sem resultados. A maior força do Vila Fanny, por exemplo, era a maior fraqueza: o apoio com o estreante lateral-direito Buiú, ex-Trieste, ainda distante do ritmo de jogo do auge da temporada passada, foi eficaz, mas curiosamente suas subidas deixavam espaço para a contra-carga do Tricolor de Aço.

No entanto, não foi por ali que o placar foi aberto pelo Capão Raso. Em jogada pela direita de seu ataque, Sabonete tentou, a bola foi cortada, sobrou para Wescley, que não matou bem, sobrando de volta para Sabonete, aos 47 minutos, abrir a contagem.

No segundo tempo, o Vila Fanny ficou cedo com um a menos, quando o zagueiro Elísio tomou seu segundo amarelo e foi expulso. Era a deixa para o Capão Raso crescer? Não! Logo aos 6 minutos, Anderson cobrou falta na cabeça do grandalhão Dinda, que empatou a partida.

Precisando de sangue novo, o auxiliar técnico Romário (o técnico Nego ficou de fora cumprindo suspensão) colocou o jovem Gederson, 18 anos, vice-artilheiro da última Suburbana Juvenil com 14 gols, no lugar de Dinda. O garoto, em sua segunda partida pelo adulto, teve duas boas chances para marcar parando no bom goleiro Gêneses do Capão Raso.

No entanto, a estratégia do time Alvirrubro foi por água abaixo aos 33 minutos, quando Marquinhos cometeu pênalti em Wescley e recebeu o segundo amarelo, sendo expulso e reduzindo o Vila Fanny a apenas nove jogadores. Bruninho, aos 34 minutos, converteu o pênalti e deu números finais à partida.

Para o camisa 10 Sabonete, o Capão Raso poderia ter evitado todo o sufoco que passou e não ter corrido tantos riscos com dois a mais em campo. “Nosso time não soube aproveitar os espaços, faltou tocar. Capão Raso poderia ter tocado mais a bola, mas por outro lado a gente conseguimos  somar os três pontos”, analisou.

Para Dinda, autor do gol do Fanny, as expulsões acabaram pesando. “Hoje em dia jogar com um a menos é difícil. Principalmente contra eles em casa e precisando de resultado. Foi pênalti ali bem marcado e mereceram vitória, pois jogaram melhor no segundo tempo. Agora, precisamos trabalhar na quinta para entrosarmos logo. Brio nunca faltou no Fanny, sempre foi um time aguerrido. Se não vai ninguém expulso, a gente complicaria eles”, disse o camisa 9, que elogiou o jovem Gederson. “Ele vem do jogo passado, jogou comigo e fez boa partida. É umarevelação boa que o Fanny aposta para no futuro vestir a camisa 9”, concluiu.

Não chegou

O Capão Raso teve apenas três jogadores no banco, mas esperava um quarto, que não chegou. Ele se chamava João.

Saindo rápido para casamento

O zagueiro Couto do Capão Raso passou por uma situação curiosa. A esposa do atleta negociou com a comissão técnica para que ele jogasse apenas um tempo, pois a família fora convidada para um casamento.

Fichas técnicas das partidas:

Rodada dupla do Estádio José Carlos de Oliveira Sobrinho, Novo Mundo, Curitiba

Vila Sandra 3 x 1 Imperial

Vila Sandra: Coxinha; Cristiano (Rafael), Marcão, Vinícius e Matusalém (Dedé); Daniel, Hítalo (Leandro), Pedro e Mineiro (Rodriguinho); Zé Ricardo (Rodinho) e Adriano (Maranhão). Técnico: Jackson Queiroz.

Imperial: Júlio; Luciano, Tiago (Dênis), Diego e Dega (Toby Love); Cairo, Abimael, Zeti (Caíque) e Douglinhas; Samuel e Roberto (Murilo(. Técnico: Pastor.

Arbitragem: Rodrigo Posser Borges, Leandro Polli Gligoski e Simone Nascimento.

Gols: Adriano (VSA, aos 19’/1.º), Diego (IMP, aos 38’/1.º), Maranhão (VSA, aos 23’/2.º), Robinho (VSA, aos 46’/2.º)

Cartões Amarelos: Reginaldo, Maranhão (VSA); Júlio, Roberto, Caíque (IMP). Cartões Vermelhos: Pedro (VSA, aos 1’/2.º), Cairo (IMP, aos 1’/2.º).

Capão Raso 2 x 1 Vila Fanny

Capão Raso: Gêneses; Roger, Fabrício, Couto (Lincoln) e Cleverson; Xuxa, Lipe e Feijão; Sabonete, Wescley e Bruninho (Alex). Técnico: Junior Saurin.

Vila Fanny: Flávio; Lela, Elísio e Marquinhos; Buiú (Fulvio), Johnny, Anderson, Guelo (Wallison) e Rafael; Bruninho e Dinda (Gederson). Técnico: Nego (suspenso, teve o auxiliar Romário no banco)

Arbitragem: João Paulo Kirchner, Leandro Polli Gligoski e Simone Nascimento.

Gols: Sabonete (UCR, aos 47’/1.º), Dinda (VFA, aos 6’/2.º), Bruninho (UCR, aos 34’/2.º).

Cartões Amarelos: Roger, Fabrício, Xuxa, Lipe, Lincoln (UCR); Lela, Elísio, Marquinhos, Rafael (VFA). Cartões Vermelhos: Elísio (VFA, dupla advertência aos 3’/2.º), Marquinhos (VFa, dupla advertência aos 33’/2.º)

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Vila Fanny e Uberlândia largam com vitória na Copinha

Calor e bons times de Santíssima Trindade e Vila Sandra fizeram Vila Fanny e Uberlândia suarem para vencer no Manoel Gustavo Schier

Calor e bons times de Santíssima Trindade e Vila Sandra fizeram Vila Fanny e Uberlândia suarem para vencer no Manoel Gustavo Schier

Pela abertura da Copa de Futebol Amador da Capital, na tarde deste sábado (2), o calor escaldante castigou a todos na rodada dupla no Estádio Manoel Gustavo Schier. Escaldados, Vila Fanny e Uberlândia fizeram se valer do favoritismo e venceram seus jogos, ambos de maneira dura, e largaram com três pontos em seus grupos na competição.

Pelo Grupo A, o Vila Fanny precisou de muita força para virar sobre o Santíssima Trindade por 4 a 3 após estar perdendo por 3 a 0. Pelo Grupo B, o Uberlândia foi ameaçado por um ambicioso time do Vila Sandra e só abriu o placar para vencer por 2 a 0 na última meia-hora de partida.

Os quatro times envolvidos na rodada dupla voltarão a jogar no próximo sábado, dia 9. Vila Sandra e Vila Fanny novamente estarão na mesma rodada dupla, agora no José Carlos de Oliveira Sobrinho, com o Alvinegro do Corredor abrindo os trabalhos às 14 horas contra o Imperial e o Alvirrubro encerrando a rodada às 16 horas contra o dono da casa Capão Raso. Santíssima Trindade e Uberlândia também jogarão às 16 horas. O time do bairro do Cajuru receberá no Parque Linear o Palmeirinha, enquanto que o Auriazul enfrentará o Sergipe no Manoel Gustavo Schier.

Virada suada

Na primeira partida, dois tempos distintos. No primeiro, o Santíssima Trindade atropelou o Vila Fanny e marcou com Lelê logo aos 3′, ampliou com Marcão aos 7′ e com Leandro aos 42′. Pareciam favas contadas a vitória surpreendente da equipe que disputa a Segundona da Suburbana sobre um Fanny em reconstrução? Parecia.

Mas o que se viu na segunda etapa foi o Vila Fanny conseguindo destravar seu jogo e o Trindade sentindo o cansaço de se jogar com um sol escaldante das 14 horas. Wallison marcou aos 9′ e Bruno encostou no placar aos 21′. O empate, marcado pelo zagueiro Elísio aos 28′, foi bastante discutido pelos jogadores do Santíssima Trindade, que reclamaram de impedimento do zagueiro-artilheiro. A arbitragem alegou que foi um passe vindo da defesa do time da Zona Leste. A virada alvirrubra veio aos 42 minutos por meio de Anderson. Ainda deu tempo do zagueiro Robson do Trindade ser expulso aos 45 minutos pelo segundo cartão amarelo.

“O primeiro jogo demora para o time encaixar, mas não pode deixar de ter vontade. Fomos buscar o resultado e honramos nossa camiseta de um time grande que é o Vila Fanny”, afirmou o zagueiro Elísio do Vila Fanny.

“Foi um jogo de dois tempos: em um mandamos e no outro eles. O juiz errou no nosso ver em dois gols. Jogamos bem e nosso time tá começando agora, sem entrosamento. Durante o campeonato, acho que melhora um pouco”, disse o zagueiro Dill do Santíssima Trindade.

Vitória nos pés de Paulinho

No jogo de fundo, o Vila Sandra engrossou e esteve perto de marcar, mas no fim o Uberlândia, com a base que subiu para a elite na última temporada, contou com a boa pontaria do meia-atacante Paulinho para fazer 2 a 0.

O primeiro tempo teve um Vila Sandra bom na defesa, mas sem conseguir finalizar, coisa que era feita pelo Uberlândia, dando trabalho ao goleiro Coxinha. Na segunda etapa, o brilho era do goleiro Jiraya do Uberlândia, mas o crescimento do Alvinegro foi estancado por duas finalizações de Paulinho, aos 22 e aos 31 minutos. O Uber foi atrás de ampliar e o Vila Sandra também não se afetou, tentando ao menos diminuir. Ainda deu tempo para Thiaguinho, que havia entrado no segundo tempo, deixar  o Vila Sandra com dez em campo.

“Tava difícil. Primeiro tempo trombado, uma chance clara para cada lado e só. Graças a Deus, segundo tempo aproveitamos as chances e saímos com a vitória. Já tinha feito dois gols, mas de saída é a primeira vez. Vamos brigar para chegar, contra tudo e contra todos”, afirmou Paulinho, autor dos dois gols.

O bom desempenho, apesar da derrota, serve de alento para o Vila Sandra, que claramente montou time pensando em subir para a elite durante o segundo semestre. “Infelizmente, a gente criou e não concluiu e eles criaram e conseguiram fazer os gols. Agora, a gente vai descansar, terça treinar e acertar isso para o campeonato. Vila Sandra não faz time para não chegar. Está com intuito de chegar neste ano e subir. Temos de trabalhar bastante, mas vamos conseguir”, avaliou o goleiro Coxinha.

Pegadinha do Mallandro. Rá!

Em nossa apresentação do campeonato, levamos em conta a tabela que constava no site da Federação Paranaense de Futebol (FPF). Lá tínhamos sete times no Grupo A, embora o regulamento não constasse isso. Durou até o dia 1.º de abril o Vila Hauer na tabela. O time não consta mais lá e temos definitivamente dois grupos de seis.

Sombra de poste

A tarde foi tão quente em Curitiba que em alguns momentos tivemos mesários e repórteres tentando se abrigar do sol ardido na sombra de um poste na lateral do campo.

Era dos extremos

Começo de competição no futebol amador federado tem disso: times dificilmente vão completos. Nesta primeira rodada, no Manoel Gustavo Schier, o Vila Fanny não tinha reservas, o Santíssima Trindade tinha apenas um (foi utilizado) e o Uberlândia tinha três (usou os dois jogadores de linha). Completo, apenas o Vila Sandra, inclusive se aproveitando de uma novidade de regra: ocupou todos os agora nove lugares no banco e fez uso de todas as seis substituições disponíveis.

Fichas Técnicas das partidas:

Estádio Manoel Gustavo Schier, Vila Uberlândia, Novo Mundo

Vila Fanny 4 x 3 Santíssima Trindade

Vila Fanny: Niles; Fulvio, Marquinhos, Elísio e Rafael; Lucas, Anderson, Géderson e Bruno; Wallison e Dinda. Técnico: Nego (suspenso, não ficou no banco, ocupado por Romário)

Santíssima Trindade: Juliano; Alessandro, Robson, Dill e Eric Baiano; Baby, Marcão, Guilherme (Wesley) e Lelê; Leandro e Joaquim. Técnico: Gean.

Arbitragem: Thiago Carnieri Kempe, Marco Aurélio dos Santos e Reube Dobrychlop dos Reis.

Gols: Lelê (STR, aos 3’/1º), Marcão (STR, aos 7’/1.º), Leandro (STR, aos 42’/1.º), Wallison (FAN, aos 9’/2.º), Bruno (FAN, aos 21’/2.º), Elísio (FAN, aos 28’/2.º), Anderson (28’/2.°).

Cartões Amarelos: Marquinhos, Elísio, Dinda (FAN); Alessandro, Robson, Eric Baiano (STR). Cartão Vermelho: Robson (STR, 45’/2.º)

Uberlândia 2 x 0 Vila Sandra

Uberlândia: Jiraya; Luisinho, Wesley Carioca, Alex, Alan; Nepo, Oberdan, Rafinha, Cenoura (Wagner) e Paulinho; Quintino (Fumaça). Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Vila Sandra: Coxinha; Cristiano, Fião (Márcio), Vinícius, Matusalém (Dedé); Guilherme (Ítalo), Pedro, Daniel, Mineiro (Thiaguinho); Zé Ricardo (Maranhão) e Adriano (Romildo). Técnico: Jackson Queiroz.

Arbitragem: Elvio Kertelt Legnani, Marco Aurélio dos Santos e Reube Dobrychlop dos Reis.

Gols: Paulinho (UBE, aos 22’/2.º e 31’/2.º)

Cartões Amarelos: Rafinha, Fumaça (UBE); Cristiano, Guilherme, Daniel, Ítalo (VSA). Cartão Vermelho: Thiaguinho (VSA, 45’/2.º)

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Volante-artilheiro marca e coloca Vila Fanny na liderança da chave

Jogadores do Vila Fanny comemoram o gol de Magu: tento solitário valeu a ponta do Grupo D para o Alvirrubro

Jogadores do Vila Fanny comemoram o gol de Magu: tento solitário valeu a ponta do Grupo D para o Alvirrubro

Com um gol do volante Magu, aos 37 minutos do 2.º tempo, o Vila Fanny bateu o Santa Quitéria no Ismael Gabardo por 1 a 0 e pulou para a liderança do Grupo D da 2.ª Fase da Suburbana. O resultado de sábado (17), casado com o empate por 1 a 1 entre Renovicente e Trieste, colocou a equipe alvirrubra na liderança da chave com 7 pontos, um a mais que o Renô e quatro a mais que o próprio Quitéria, restando nove por disputar.

“Tive a oportunidade. Isto é fruto de um primeiro semestre que a gente trabalhou muito bem. Fanny é vida, Fanny é isso aí! Agora abrimos uma grande vantagem que vai dar fruto lá na frente”, disse Magu, que, voltando de uma lesão, viu o primeiro tempo do banco de reservas.

“Falta a gente fazer as finalizações. A gente cria, cria e cria, mas não chuta. Tomamos um gol em uma falha de bola parada. Agora temos de ganhar duas seguidas em casa, Fanny e Trieste, e fazer os nove pontos que a gente precisa [para se classificar]”, afirmou o técnico do Santa Quitéria, Leandro Chibior, após a partida.

As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima rodada no Maurício Fruet. Teremos uma diferença com relação ao resto da competição devido ao Enem. Os adultos jogarão no próximo sábado (24), às 16 horas, enquanto que os juvenis realizarão esta rodada apenas no dia 28 de outubro, uma quarta-feira, também às 16 horas.

O jogo

O primeiro tempo começou com domínio completo do Santa Quitéria, que contou com o reforço de sua torcida organizada no setor visitante do Ismael Gabardo. A equipe visitante esmagou o Vila Fanny no campo de defesa, mas não conseguiu finalizar a contento, sendo barrada por uma boa atuação do goleiro Nenê.

Na segunda etapa, o técnico Nego colocou Magu, que voltava de lesão, logo no rolar da bola. As várias mexidas que vieram surtiram resultado e o Vila Fanny equilibrou a partida gradualmente criando mais chances, inclusive tendo um gol bem anulado de Dinda por impedimento.

O gol saiu já perto do fim, aos 37 minutos. Uma falta foi cobrada do lado direito e após escorada, Magu, artilheiro da equipe na competição, aproveitou para juntar mais um gol à sua soma.

Nenhuma mesmo

Uma das principais características do Santa Quitéria é ter como batedor de faltas frontais e próximas o goleiro Jonas. Porém, Jonas não teve uma chance sequer na partida. Acredita-se que tenha havido alguma orientação expressa do treinador Nego à sua equipe para evitar este tipo de falta, pois nenhuma foi cometida no perímetro de ação do camisa 1, que havia feito um gol na rodada passada contra o Trieste.

Nos juvenis, um dia como outro qualquer para Gederson

Nos juvenis, o Vila Fanny venceu o Santa Quitéria por 2 a 1. O destaque do jogo foi o centroavante Gederson, autor dos dois gols do time da casa e artilheiro da competição. Ainda no primeiro tempo, o Fanny teve um pênalti desperdiçado por Maurício, que chutou por cima.

No segundo tempo, Gederson pegou a bola para bater outro pênalti e abriu o placar aos 13 minutos. Logo depois, aos 14, recebeu lançamento, ganhou na velocidade e tocou na saída do goleiro. O placar foi fechado com um gol de Leonardo, aos 23 minutos, para o Santa Quitéria, numa finalização forte da entrada da área.

Ficha Técnica:

Vila Fanny 1 x 0 Santa Quitéria

Estádio Ismael Gabardo, Vila Fanny, Curitiba

Vila Fanny: Nenê; Arroz (Magu), João Antônio, Elízio e Gasosa (Marquinhos); Arthur, Alex, Anderson (Walisson) e Joãozinho (Bruninho); Dinda (Zé Ricardo) e Juliano. Técnico: Nego.

Santa Quitéria: Jonas; Cleiton (João Victor), Baly, Bruno e Adriano Chuva; Aroldo (Lima), Jean (Luan), Pedra (Dedé) e Fernandinho; Robson e Jonatas. Técnico: Leandro Chibior.

Arbitragem: Cristian Eduardo Gorski da Luz, Sandra Maria Dawies e Rafael Dias de Melo.

Gol: Magu (VFA), aos 37’/2.º.

Cartões Amarelos: Elízio, Arthur (VFA); Cleiton, Bruno (SQT).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Trieste bate Vila Fanny, garante classificação e mantém perseguição a líder e arquirrival

Jogadores do Trieste comemoram o segundo gol marcado sobre o Vila Fanny, anotado para Victor Tilly após desvio do zagueiro Rogério. Equipe disputa liderança geral e da chave com arquirrival Iguaçu

Jogadores do Trieste comemoram o segundo gol marcado sobre o Vila Fanny, anotado para Victor Tilly após desvio do zagueiro Rogério. Equipe disputa liderança geral e da chave com arquirrival Iguaçu

Jogando fora de casa, no Ismael Gabardo, o Trieste garantiu a classificação antecipada à próxima fase restando ainda três jogos por fazer. A vitória por 2 a 0 sobre o Vila Fanny neste sábado (22) aliada à derrota do Bangu frente ao Iguaçu deu ao Tricolor de Santa Felicidade a garantia de ser pelo menos o quarto colocado. Os gols marcados por Thiago e Victor Tilly, este contando com desvio do zagueiro Marquinhos, transformaram o restante da 1.ª Fase do Grupo A em um duelo entre arquirrivais de bairro pela primeira colocação, que vale ponto extra na próxima fase.

“A equipe não vinha jogando bem, empatando alguns jogos. Hoje [sábado] fizemos um bom jogo, ainda mais fora de casa. No grupo, todo mundo quer liderança e sabe que é importante. Temos uma rivalidade grande com o Iguaçu e vamos brigar ponto a ponto. São detalhes que vão decidir”, afirmou o centroavante Thiago, de 27 anos, estreante nesta temporada na Suburbana e autor do primeiro gol do Trieste.

O Trieste é o segundo colocado do Grupo A, com 16 pontos, um a menos que o arquirrival Iguaçu, e pega o Bangu na próxima rodada também fora de casa. O Vila Fanny estacionou nos 11 pontos e é atualmente o quarto colocado, dentro da zona de classificação. O Alvirrubro encara fora de casa o desesperado Nova Orleans, atual campeão que briga contra o rebaixamento. Os jogos do próximo sábado (29) terão os juvenis em campo às 13h30 e os adultos às 15h30.

O jogo

Quem foi ao Ismael Gabardo viu um ótimo jogo, bastante movimentado e com boas chances dos dois lados. Vila Fanny e Trieste propiciaram aquele espetáculo em que o tempo passou rápido demais por ser muito bem aproveitado pelas equipes.

Com um time bastante experiente contando com os ex-paranistas Goiano, 35 anos, e João Vítor, 32 anos, o Trieste saiu na frente aos 31 minutos de jogo. Thiago recebeu lançamento, superou a defesa na velocidade e tocou na saída do goleiro Nenê.

Algumas entradas mais ríspidas deixaram o segundo tempo mais nervoso que o primeiro, com o Vila Fanny tendo o técnico Nego expulso por reclamar com o árbitro Selmo Pedro dos Anjos Neto. A estratégia da equipe da casa foi povoar o ataque com Zé Ricardo, jogador de 1,94 metro de altura, que estava no banco, e liberar o trabalho dos alas, caso de Gasosa, que esteve muito bem no apoio. No Trieste, a ordem era aproveitar os contra-ataques, especialmente com Giovani, um especialista em jogadas de velocidade e que deu muito trabalho à zaga adversária.

No entanto, o jogo acabou sendo definido aos 27 minutos num erro da zaga do Vila Fanny. O lateral-esquerdo Victor Tilly do Trieste subiu para o apoio e bateu para a área. O zagueiro Marquinhos desviou contra as próprias redes. O gol foi anotado para o ala triestino.

Nos juvenis, Trieste goleia em grande primeiro tempo

Na preliminar, pela categoria juvenil, o Trieste precisou de apenas 23 minutos para construir uma goleada por 4 a 0 sobre o Vila Fanny. Aos 8 minutos, Lucas abriu o placar para o time de Santa Felicidade. Aos 17, Gustavo ampliou em lance que contou com desvio da zaga. Aos 19, Lucas marcou pela segunda vez e aos 23 minutos o placar foi fechado por Guilherme.

Ficha Técnica

Vila Fanny 0 x 2 Trieste

Estádio Ismael Gabardo, Vila Fanny, Curitiba

Vila Fanny: Nenê; Marcinho (Andrézinho), Rogério, Marquinhos e Gasosa; Arthur (Wallyson), Alex (Elísio), Magu e Joãozinho (Zé Ricardo); Valdir e Leomar (Batata). Técnico: Nego.

Trieste: Bruno; Buiú, Luciano, Édson Santos e Victor Tilly; Cirilo, João Vitor (Amarildo), Goiano (Everton) e Nenê (Alan); Giovani (Alex) e Thiago (Elivélton Foguinho). Técnico: Mário Sérgio Feijão.

Arbitragem: Selmo Pedro dos Anjos Neto, Diego Grubba Schitkowski e Giovani M. de O. Massochetto.

Gols: Thiago (TRI), aos 31’/1.º; Victor Tilly (TRI), aos 27’/2.º.

Cartões amarelos: Arthur, Leomar (FAN). Édson Santos, Cirilo (TRI).

Confira as imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comentários

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Renovicente se reabilita sobre Vila Fanny em virada nervosa

Willians corre para comemorar com o banco do Renovicente o gol que abriu caminho para a virada de sua equipe sobre o Vila Fanny por 4 a 1

Willians corre para comemorar com o banco do Renovicente o gol que abriu caminho para a virada de sua equipe sobre o Vila Fanny por 4 a 1

Num jogo bastante pegado e nervoso, com direito a muitos cartões , o Renovicente encerrou uma série de três derrotas ao bater o Vila Fanny, no último sábado (8), de virada, por 4 a 1, no Ismael Gabardo. O time da casa saiu na frente com Magu, mas viu os visitantes empatarem com Willians e virarem com Felipe Caron e William, duas vezes. A rodada encerrou a primeira metade da 1.ª Fase, em que as equipes jogam fora de seus grupos.

“A gente estava vindo de três derrotas e isso estava abalando o grupo. Conversamos esta semana inteira e conseguimos uma virada em um jogo difícil”, afirmou o lateral/atacante William, autor dos dois últimos gols do Renô na partida. “A gente veio com uma motivação diferente, precisávamos que saíssemos com a vitória do jeito que desse”, completou o atacante Felipe Caron, autor de um gol e fundamental no lance-chave da partida, o gol de empate. O Renovicente é o vice-líder do Grupo B com 9 pontos.

Para o time do Vila Fanny, ficou acesa a luz de alerta de precisar melhorar nos duelos diretos, sendo o quarto do Grupo A, último a se classificar, com 8 pontos. “Temos um turno inteiro, cinco jogos para pensar. Temos potencial para reverter a situação. Precisamos sair desta maré, principalmente em casa”, afirmou o meio-campista Magu, autor do gol alvirrubro na partida.

Os dois times voltam a campo no próximo sábado (15), com os juvenis atuando às 13h30 e os adultos às 15h30. O Vila Fanny enfrenta o Bangu fora de casa, enquanto que o Renovicente faz duelo que pode valer a liderança da chave contra o Urano, em casa, no Solar do Bosque.

O jogo

O placar de 4 a 1 para o Renovicente não refletiu o equilíbrio visto no Ismael Gabardo durante a maior parte do jogo, que foi bastante brigado com o árbitro Elvio Kertelt Legnani tendo bastante trabalho com cartões.

Após um início lá e cá , o Vila Fanny começou a dominar ligeiramente as ações e foi premiado com o gol. O alvurrubro saiu na frente aos 33 minutos em cobrança de pênalti com categoria de Magu. O gol parecia que alteraria mais ainda o equilíbrio visto até então.

Porém, aos 40 minutos, o lance-chave do jogo aconteceu. A bola foi recuada para o goleiro Cesinha do Vila Fanny. Pressionado por Felipe Caron, o camisa 12 matou a bola mal e perdeu a posse para o atacante do Renovicente, que arrancou pela direita e colocou na cabeça de Willians, empatando a partida. “O campo estava seco e a bola quicando muito, então resolvi ir atrás e tive a sorte de roubar a bola”, explicou o camisa 11 do Renô após o jogo.

O empate abalou o Vila Fanny. A virada veio no segundo tempo em uma cobrança de pênalti que selou a expulsão do meia Leomar (que não é aquele), autor da penalidade, por dupla advertência. Na marca dos 11 minutos, Felipe Caron marcou e colocou o time visitante na frente.

O Renovicente cresceu no jogo e teve várias chances de ampliar. Quando o fez, aos 29 minutos, foi com estilo, num voleio de William após escanteio da direita.

Com vantagem de dois gols, a equipe visitante passou a espreitar o contra-ataque e a resistir às tentativas do Vila Fanny em encostar no marcador. E em um dos últimos lances deu certo… para o Renovicente. A puxada de contra-ataque encontrou William pronto para colocar na saída de Cesinha e fechar o placar aos 49 minutos.

Alalaô

Em pleno inverno curitibano, a temperatura do jogo ficou na casa dos 27 graus, também conhecido como calor extremo de verão curitibano. Com a umidade baixa, típica do mês de agosto, o árbitro paralisou a partida para pausas para reidratação nos dois tempos de partida.

Nos juvenis, vitória do Vila Fanny

Na preliminar, o Vila Fanny chegou aos 15 pontos em 18 disputados ao bater o Renovicente por 1 a 0. O gol da partida dos juvenis foi feito pelo centroavante Géderson, aos 30 minutos do segundo tempo, ao completar falta cobrada por Tiquinho.

Ficha Técnica

Vila Fanny 1 x 4 Renovicente

Estádio Ismael Gabardo, Vila Fanny, Curitiba

Vila Fanny: Cesinha; Marcinho (Valdir), Rogério, Marquinhos (André Ceará) e Bruno; Alex, Leomar, Magu e Joãozinho (Wallysson); Juliano e Zé Ricardo. Técnico: Nego.

Renovicente: Paulo; William, Lila, Dudu e Juliano (Raul); Ivan, Assuero (Pequeno), Bruno (Chapoca) e Ricardinho; Willians (Carlão) e Felipe Caron (Didi). Técnico: Rossano Santana (Não ficou à beira do campo, suspenso, com o time sendo comandado por Lucão)

Arbitragem: Elvio Kertelt Legnani, Fabrício da Silva Martins e Fernando César Tobias.

Gols: Magoo (FAN), aos 33’/1º; Willians (REN), aos 40’/1.º; Felipe Caron (REN), aos 11/2.º; Wiliam (REN), aos 26’/2.º e 49’/2.º.

Cartões amarelos: Marcinho, Leomar (2), Joãozinho (FAN). Paulo, Lila, Juliano, Assuero, Willians, Didi (REN).

Cartão vermelho: Leomar (FAN) (dupla advertência).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

3 Comentários

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Reinícios, continuidades e recomeços (parte 3)

Nova Orleans e Operário Pilarzinho decidiram a Suburbana em 2014 e viraram exemplo para times de orçamentos menores na competição

Nova Orleans e Operário Pilarzinho decidiram a Suburbana em 2014 e viraram exemplo para times de orçamentos menores na competição

O ano de 2015 promete no futebol amador de Curitiba. Após um ano atípico, 2014, em que duas equipes tidas como outsiders chegaram à final da Suburbana, com o Nova Orleans ganhando a decisão do Operário Pilarzinho nos pênaltis do terceiro jogo, deveremos ter uma acomodação de forças.

Muita água rolará antes do segundo semestre, quando o Amador da Capital é realizado. Antes disso teremos a Taça Paraná e a Copa Amadora. Quando estas competições acabarem, veremos o Sul da cidade mais representado. Na temporada que se encerrou, caíram o Uberlândia (Sul) e o Combate Barreirinha (Norte). Subiram o Nacional do Boqueirão (Sul) e o tradicional Vila Fanny (Sul).

Em temporadas anteriores, fez muita diferença o poderio financeiro em atrair ex-atletas com grife. Em 2014, ter base a muito tempo, mesmo com orçamento mais modesto, fez a diferença. Resta saber como os clubes farão, se seguirá o reinado do bom e barato ou se algum time galáctico assumirá o trono do amador da cidade. Para os com menos recursos, os exemplos estiveram na final.

Deixe um comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Opinião