Arquivo da tag: Renovicente

Santa Quitéria vence Renovicente em jogo eletrizante e arranca vaga para as semifinais

Jogadores do Santa Quitéria comemoram gol de Gean, em cima da hora, com um jogador a menos: "thriller" de cinco gols no Solar do Bosque deu a classificação e o primeiro lugar da chave ao Santa Quitéria

Jogadores do Santa Quitéria comemoram gol de Gean, em cima da hora, com um jogador a menos: “thriller” de cinco gols no Solar do Bosque deu a classificação e o primeiro lugar da chave ao Santa Quitéria

Em um emocionante duelo de cinco gols, o Santa Quitéria venceu o Renovicente, em pleno Solar do Bosque, na tarde deste sábado (7), pelo placar de 3 a 2 e classificou-se para as semifinais da Suburbana. De quebra, com o empate sem gols entre Trieste e Vila Fanny, a equipe auriverde garantiu o primeiro lugar do equilibradíssimo Grupo D, tendo agora pela frente o Novo Mundo, segundo colocado do Grupo C.

Juliano, Baloy, que perto do fim do jogo foi expulso, e Gean, fizeram os gols do Quitéria, o último aos 44 minutos do segundo tempo, quando o time já estava reduzido a dez homens. Felipe Caron e Willian Israel marcaram para o Renove.

Para se ter ideia da pouca diferença técnica entre os quatro times da chave, o Santa Quitéria, com nove pontos e três vitórias, ficou em primeiro, com o Vila Fanny, nove pontos e duas vitórias, em segundo, o Trieste, oito pontos, em terceiro, e o Renovicente, sete pontos, em quarto. Apenas dois pontos de diferença de um total de 18 pontos disputados, 19 para quem teve ponto extra. Acrescentando a isso, os dois classificados terminaram a fase com saldo de gols zerado, sendo que Trieste teve saldo +1 e o Renovicente -1, mais um indício do nivelamento entre os times.

“Estou sem palavras. Essa equipe é guerreira, lutou para não cair, lutando contra tudo e contra todos. Só que a gente fechou, virou uma família no vestiário. Agora vamos focar a próxima fase, que mostra quem é homem de verdade. A gente trabalhar forte que vai ser outro jogo”, disse Gean, autor do gol da classificação.

 

Para o Renovicente, a temporada chegou ao fim com o sabor de que faltou pouco para chegar às semifinais. “Infelizmente não deu para sair com resultado positivo. Era um jogo chave hoje. Demos bobeira e entregamos dois gols para eles. Agora não tem mais o que fazer. Desde o início, era um grupo para chegar, tanto que fomos primeiros [na primeira fase], mas vacilamos em jogos que tínhamos três pontos na mão. Bobeamos e colhemos o que plantamos”, explicou o meia-atacante Felipe Caron, autor do primeiro gol de sua equipe. “O time a ser batido é o Iguaçu. Futebol pode ter surpresa e pode até não chegar, mas vejo como a equipe que todos terão de bater”, completou, dando um palpite do que vem pela frente.

As semifinais dos adultos serão jogadas entre Santa Quitéria e Novo Mundo, e Iguaçu e Vila Fanny. A FPF divulgará durante a semana a tabela e quais os pareamentos da categoria juvenil.

O jogo

Impossível dissociar a partida do Solar do Bosque do que acontecia ao mesmo tempo no Francisco Muraro, onde Trieste e Vila Fanny ficaram no 0 a 0 em um jogo que atrasou alguns minutos e deixou todo mundo na expectativa do que poderia acontecer com efeitos para a classificação. O certo, no apito inicial, era que uma vitória no Santa Cândida classificaria o vencedor e o empate só serviria ao Renovicente se houvesse uma vitória do Trieste lá em Santa Felicidade.

Com a bola rolando em ambos os campos, tanto Renovicente quanto Santa Quitéria estavam fora. Com isso, viu-se um jogo bastante franco, como na cobrança de falta aos 21 minutos em que Adriano Chuva acertou o travessão de Artur. As duas equipes apostaram em ataques velozes e um gol era questão de tempo para qualquer um dos lados.

Aos 37 minutos, em uma troca rápida de passes, a zaga do Renovicente parou pedindo impedimento e Juliano recebeu dentro da área para abrir o marcador para o Santa Quitéria. O meia-atacante jogou no sacrifício, antecipando o retorno após uma lesão no joelho, para poder ajudar a equipe. “Eu estava comentando com minha mulher que a gente ganhou todos os jogos que eu entrei”, contou após o jogo o atleta, que ano passado foi decisivo na conquista do título do Nova Orleans.

A resposta do Renovicente foi bastante rápida. Aos 41 minutos, numa trama de velocidade, Felipe Caron recebeu por dentro da defesa e arrancou para bater na saída de Jonas. Se o Santa Quitéria tinha ficado quatro minutos classificado naquele momento, tudo voltava à estaca zero.

Na segunda etapa, o Santa Quitéria começou mais objetivo e aproveitou a insegurança da defesa do Renovicente, com dificuldades na bola aérea e criando lances de terror cardiovascular para seus torcedores por dificuldades de comunicação, com os zagueiros trombando com o goleiro Artur por diversas vezes.

Logo aos 7 minutos, o Santa Quitéria voltou a liderar o placar. Após bola cruzada da direita, o zagueiro Baloy subiu mais que a zaga e cabeceou para as redes. Novamente a vaga voltava às mãos do Santa Quitéria.

A partir daí a adrenalina aumentou e até as cenas lamentáveis resolveram aparecer. Aos 21 minutos, após falta no lado direito do ataque do Santa Quitéria, o atleta do time visitante caído acabou sendo acertado pelo zagueiro Dudu. Isso gerou um empurra-empurra entre os atletas em campo e os atletas do banco do Santa Quitéria. Por entrar em campo sem autorização para tomar satisfações com os adversários, o zagueiro Raul, que estava no banco do Quitéria, acabou expulso aos 23 minutos, quando a contenda emfim conseguiu ser resolvida, sem sequer participar da partida como atleta.

Com os ânimos um pouco mais serenos, a partida voltou a ser disputada com o Santa Quitéria tentando matar de uma vez as possibilidades de ficar fora das semifinais e o Renovicente se esforçando para buscar o empate e depois ir atrás de uma virada que também o classificaria.

O empate veio em um pênalti cometido por Bruno ao empurrar um adversário na área. Aos 38 minutos, Willian Israel bateu com categoria, deslocando Jonas e botando fogo de vez na partida.

A chama subiu mais no minuto seguinte. Baloy acertou adversário após marcação de falta e levou cartão vermelho direto. Com o Santa Quitéria reduzido a dez homens, tudo parecia levar a crer que o Renovicente iria com tudo para buscar a virada e a classificação.

No entanto, a zaga tricolor deu bobeira mais uma vez e a bola sobrou, aos 44 minutos, para Gean, que primeiro ameaçou bater, tirando do goleiro, para aí chutar para o gol da classificação, fechando o placar em 3 a 2 para o Santa Quitéria.

Presidencial

Pela primeira vez no Solar do Bosque, fomos surpreendidos pela estrutura do estádio do Renovicente. Há um setor de imprensa com três amplas cabines, usadas pelo pessoal das rádios. Não é exagero considerá-las melhor equipadas que alguns estádios de futebol profissional.

Espaço aéreo disputado

O bairro do Santa Cândida, na zona norte de Curitiba, não é distante do Bacacheri, onde fica um dos aeroportos de Curitiba. Devido à pista curta demais e por ser muito próximo da cidade, o Aeroporto do Bacacheri converteu-se em local para aviões de pequeno porte, voos fretados e voos de treinamento. Vários aviões passaram sobre o campo do Renovicente durante a partida.

- Olha o avião!  - Caiu a marcação!

– Olha o avião!
– Caiu a marcação!

A distância das aeronaves era tão pequena que em muitos momentos o barulho dos motores ecoava pela região.

Mais uma aeronave sobre o Solar do Bosque

Mais uma aeronave sobre o Solar do Bosque

Mas não foi só avião que andou pelo espaço aéreo do Renovicente. Em dado momento do jogo, pôde-se observar uma pipa sendo empinada tranquilamente em uma tarde que a chuva não quis sair e até deu alguns momentos ao sol.

Se você já viu algo parecido, deve-se lembrar de Uberlândia x Caxias, quando também teve pipa perto do campo

Se você já viu algo parecido, deve-se lembrar de Uberlândia x Caxias, quando também teve pipa perto do campo

Caniggia no Renovicente

Não é bem o ex-craque argentino, mas sim um homônimo de penas. Os quero-queros do Recanto do Bosque têm nome. Um deles foi trazido há cerca de 20 anos do Clube Duque de Caxias, no Bacacheri, quando jovem, e foi tratado de um ferimento causado por uma bola de tênis que o deixou com uma das patas arqueadas. O nome que ele ganhou foi Caniggia. As aves deram o ar da graça dentro do campo em alguns momentos, mas preferiram o gramado ao lado das quatro linhas na maior parte do tempo.

Caniggia e família

Caniggia e família

Goleada classifica Renovicente no juvenil

Na preliminar de juvenis, o Renovicente precisava vencer e vencer com bom saldo para passar de fase, pois a disputa com o Vila Fanny era ponto a ponto e gol a gol. Missão dada e missão cumprida: 4 a 0 sobre o Santa Quitéria, que só cumpria tabela.

O placar foi todo construído no primeiro tempo. Fábio marcou aos 6 minutos e Lucas Miller ampliou aos 7 minutos. Jonas fez o terceiro gol do Reno aos 24 minutos e Emerson tratou de dar números finais à partida aos 37 minutos.

O Renovicente ficou com o segundo lugar da chave com 10 pontos, três vitórias e saldo +3, dois gols de saldo a mais que o Vila Fanny, que virou em cima da hora sobre o Trieste, primeiro colocado, 4 a 3, mas precisaria de mais três gols para ir às semifinais.

Ficha Técnica:

Renovicente 2 x 3 Santa Quitéria

Estádio Solar do Bosque, Santa Cândida, Curitiba

Renovicente: Artur; Willian Israel, Dudu, Leandro (Raul) e Julianinho; Ivan, Lila (Carlão), Douglas (João Paulo) e Ricardinho; Felipe Caron (Didi) e Willians Alves. Técnico: Rossano.

Santa Quitéria: Jonas; Cleiton (Luan), Baloy e Bruno e Adriano Chuva; Adan, Aroldo, Juliano (Fernandinho) e Gean; Robson e Jonatas Omelete (Edinaldo Pedra). Técnico: Leandro Chibior (suspenso, com Guilherme Grande orientado o time na beira do gramado).

Arbitragem: Selmo Pedro dos Anjos Neto, Diogo Morais e Heitor Alves Eurich.

Gols: Juliano (SQT), aos 37/1.°; Felipe Caron (REN), aos 41/1.º; Baloy (SQT), aos 7/2.º; Willian Israel (REN), aos 37/2.º; Gean (SQT), aos 44/2.º.

Cartões Amarelos: Willian Israel, Dudu, Ricardinho, Willians Alves (REN); Jonas, Bruno, Aroldo, Fernandinho, Luan (SQT).

Cartões Vermelhos: Jair (SQT), aos 23/2.º (entrou em campo sem autorização durante confusão); Baloy (SQT), 38/2.º (atingiu adversário após falta cometida).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Trieste vence Renovicente e embola o Grupo D da Suburbana

Nenê comemora o gol do Trieste sobre o Renovicente no Francisco Muraro: jogo foi marcado por muita movimentação e dezenas de chances, algumas incríveis, perdidas

Nenê comemora o gol do Trieste sobre o Renovicente no Francisco Muraro: jogo foi marcado por muita movimentação e dezenas de chances, algumas incríveis, perdidas

Em uma partida marcada por muitas chances perdidas e lances incríveis, o Trieste bateu o Renovicente por 1 a 0, no Francisco Muraro, e ajudou a embolar o Grupo D da 2.ª Fase da Série A da Suburbana. O único gol de sábado (24) foi de Nenê, que saiu do banco para decidir a partida.

Com a vitória do Santa Quitéria sobre o Vila Fanny por 2 a 0, a chave ficou completamente indefinida, com o Fanny liderando com sete pontos, o Santa Quitéria com seis, duas vitórias, o Renovicente com seis, uma vitória, e o Trieste com quatro. Todos os quatro times seguem com chances de classificação para as semifinais, restando duas rodadas.

“Foi um jogo difícil. O time ficou em cima todo o momento, procurava fazer gol, a bola não entrava, acho que por nervosismo. Fomos felizes com um gol. Agora entramos na briga e vamos buscar vitória lá, respeitando o Santa Quitéria, uma boa equipe, mas acreditando no nosso potencial”, afirmou Nenê, autor do gol triestino. “A gente tinha deixado a chance escapar semana passada na nossa casa, quando só empatamos. Viemos aqui com alguns desfalques, mas temos mais dois jogos, um em casa e outro fora. Vamos ver se conseguimos fazer treino na quinta. Em falha nossa fizeram gol, mas não tem nada perdido. Em casa, diante do Quitéria, temos de prevalecer mando e tentar resultado contra o Fanny fora”, explicou Bruno, volante do Renovicente.

Os times voltam a campo em datas diferentes, segundo a tabela atual da FPF. Inicialmente não teríamos jogos no feriado de Finados, mas está marcado para sexta-feira (30), às 16h30, Vila Fanny x Renovicente, enquanto que no sábado (31), no mesmo horário, jogam Santa Quitéria x Trieste. Os juvenis de Trieste e Renovicente se enfrentam nesta quarta-feira (28), no Francisco Muraro, às 16 horas.

O jogo

A partida começou com ritmo forte e o Trieste sufocando o Renovicente no campo de defesa. O Renô, que já vinha bastante desfalcado, perdeu Assuero com lesão no joelho logo aos dois minutos de jogo e parece ter sentido o baque. O Trieste poderia ter aberto o placar e até construído uma vantagem consistente se não fosse a péssima pontaria de seus atacantes, claramente nervosos na hora do último toque. Erivélton, por exemplo, perdeu quatro chances claras na primeira etapa, do tipo que não costuma perder nos treinamentos da equipe.

O segundo tempo começou com o Trieste novamente em cima, inclusive tendo quatro escanteios seguidos ao seu favor, sintoma da pressão. Aos cinco minutos, após o goleiro Paulo, que vinha sendo destaque com ótimas defesas, atrapalhar-se com a própria zaga, Nathan perdeu com o gol aberto o mais feito até aquele momento.

O gol perdido pelo adversário virou combustível para o Renovicente, que equilibrou a partida e passou a criar chances, especialmente na bola parada com lateral-direito Willian, que exigiu trabalho e muita perícia do goleiro Diego Molina. O time visitante chegou a acertar o travessão e a trave em alguns lances, assim como o Trieste exigiu alguns milagres de Paulo.

O Trieste conseguiu marcar apenas aos 32 minutos com Nenê, que havia entrado em campo 15 minutos antes, aproveitando rebote de chute de Nathan defendido por Paulo. Na comemoração, camisa tirada e cartão amarelo.

Os locais conseguiram segurar a pressão desordenada do Renovicente que veio a seguir e ainda buscaram o segundo gol, que não veio, em jogadas de contra-ataque.

Chão de plástico

Esta foi nossa primeira partida no Francisco Muraro, que tem o nome comercial de Trieste Stadium. O campo em Santa Felicidade tem uma característica única na Suburbana: o gramado sintético. É bastante diferente do gramado sintético que o leitor deve conhecer das canchas de society. O piso tem bastante amortecimento e ao pisar (a reportagem deu uma caminhada por ele antes, no intervalo e depois do jogo) lembra bastante os campos de grama do tipo Bermuda (usada em estádios como a Vila Capanema, Ecoestádio, Couto Pereira e Arena da Baixada), tanto que os atletas utilizam as mesmas chuteiras que normalmente usam nos gramados naturais. “A bola na verdade fica um pouco mais rápida, mas é só questão de se adaptar”, explicou Bruno, do Renovicente, que atuou a temporada passada no Trieste e conhece o lado de ser local e visitante no Francisco Muraro.

 

Conexão Juazeiro

Um dos nomes mais conhecidos do Trieste nesta temporada era o do volante Goiano, ex-Paraná. Porém, Goiano não joga mais nesta Suburbana. O motivo é que foi trabalhar na Bahia como auxiliar técnico do treinador Paulo Foiani no Juazeirense, equipe que foi terceira colocada no último Campeonato Baiano e irá disputar, além do Estadual, a Copa do Nordeste na próxima temporada. Como diria o eterno Boluca, “vai com Deus, guri!”

Ficha Técnica:

Trieste 1 x 0 Renovicente

Estádio Francisco Muraro (Trieste Stadium), Santa Felicidade, Curitiba

Trieste: Diego Molina; Buiu, Luciano (Nenê), Edson Santos e Victor Tilly (Alex); João Vitor, Amarildo e Giovane (Thiago Camargo);  Erivélton , Alan (Capanema) e Nathan. Técnico: Mário Sérgio Feijão.

Renovicente: Paulo; Willian, Lila (Leandro), Ivan e Raul; Bruno, Douglas (Magno), João Paulo (Ricardo) e Didi; Assuero (Carlão, depois Gabriel) e Felipe Caron. Técnico: Rossano.

Arbitragem: Gustavo Nogas, Wesley Waldir Marmitt e Reube Dobrychlop dos Reis.

Gol: Nenê (TRI), aos 32’/2.º.

Cartões Amarelos: Edson Santos, João Vítor, Nenê (TRI); Lila, Ivan, Raul, Ricardo (REN).

Confira imagens do jogo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Julgamento do Renovicente adia começo da 2.ª Fase e pode mudar chaveamento

Time do Renovicente no dia 8/8 contra o Vila Fanny. Quatro semanas depois, dia 29/8, a equipe venceu o Vila Hauer por 1 a 0, mas foi denunciada por escalação irregular de um jogador, podendo perder seis pontos

Time do Renovicente no dia 8/8 contra o Vila Fanny. Quatro semanas depois, dia 29/8, a equipe venceu o Vila Hauer por 1 a 0, mas foi denunciada por escalação irregular de um jogador, podendo perder seis pontos

Uma possível punição ao Renovicente, que pode mudar a composição dos grupos da Série A da Suburbana, provocou o adiamento do anúncio da tabela e do começo da 2.ª Fase da competição, que seria neste sábado (26). A equipe do bairro Santa Cândida pode perder seis pontos caso seja confirmado pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), na próxima terça-feira (29), a partir das 19 horas, que houve uma escalação irregular na vitória de 1 a 0 sobre o Vila Hauer, na rodada do dia 29 de agosto.

Com isso, o Reno cairia para a quarta colocação do Grupo B, indo de 19 para 13 pontos, com o Urano passando a ser o primeiro colocado com direito a ponto extra. Por consequência, o Santa Quitéria passaria a ser o segundo e o Nacional o terceiro da chave. O impacto disso seria sentido também no torneio juvenil, pois as equipes de base acompanham a tabela dos adultos que se classificaram.

A denúncia no TJD foi gerada pela escalação do atleta Robson Eduardo Castro Kotos, que estaria suspenso e não poderia ser escalado. O atleta foi expulso na rodada do 25/10/2014 contra o Operário Pilarzinho, na temporada passada, e punido com quatro partidas. A primeira, segundo os autos, foi cumprida ainda na temporada passada e Kotos teria de cumprir as partidas restantes da pena.

Segundo a secretária geral do Renovicente, Regina Taborda, o atleta estaria no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF desde o dia 27 de julho, o que significaria que ele cumpriu os jogos restantes da punição nos três jogos anteriores ao jogo da denúncia. As partidas são contra o Novo Mundo (1.º/8), Vila Fanny (8/8), Urano (15/08). O Renovicente jogou mais uma vez, contra o Nacional (22/08), entre a data de entrada no BID do atleta e a partida que gerou a denúncia.

No entanto, a reportagem fez uma pesquisa no BID do dia informado como saída até o dia do jogo e verificou que, embora tenha assinado o novo vínculo com o Renovicente na data afirmada, Kotos teve o contrato divulgado no BID apenas dia 24 de agosto, na semana anterior à partida contra o Vila Hauer.

O atleta em questão quando da divulgação do BID no site da CBF

O atleta em questão quando da divulgação do BID no site da CBF

Na noite desta quinta-feira (24), a Federação Paranaense de Futebol (FPF), soltou uma nota oficial confirmando o adiamento e o julgamento como motivo dele. A rodada decisiva de sábado da Série B está mantida.

Entenda o impacto no chaveamento caso o Renovicente seja punido:

Grupos originais da próxima fase:

Grupo C

Iguaçu (1 pt extra)

Urano

Novo Mundo

Nacional

Grupo D

Renovicente (1 pt extra)

Trieste

Santa Quitéria

Vila Fanny

Juvenis

Grupo C

Nova Orleans

Operário Pilarzinho

Novo Mundo (1 pt extra)

Nacional (1 pt extra)

Grupo D

Renovicente

Trieste

Santa Quitéria

Vila Fanny

Como ficarão caso o Renovicente seja punido:

Grupo C

Iguaçu (1 pt extra)

Santa Quitéria

Novo Mundo

Renovicente

Grupo D

Urano (1 pt extra)

Trieste

Nacional

Vila Fanny

Juvenis

Grupo C

Nova Orleans

Santa Quitéria

Novo Mundo (1 pt extra)

Renovicente

Grupo D

Operário Pilarzinho

Trieste

Nacional (1 pt extra)

Vila Fanny

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Renovicente se reabilita sobre Vila Fanny em virada nervosa

Willians corre para comemorar com o banco do Renovicente o gol que abriu caminho para a virada de sua equipe sobre o Vila Fanny por 4 a 1

Willians corre para comemorar com o banco do Renovicente o gol que abriu caminho para a virada de sua equipe sobre o Vila Fanny por 4 a 1

Num jogo bastante pegado e nervoso, com direito a muitos cartões , o Renovicente encerrou uma série de três derrotas ao bater o Vila Fanny, no último sábado (8), de virada, por 4 a 1, no Ismael Gabardo. O time da casa saiu na frente com Magu, mas viu os visitantes empatarem com Willians e virarem com Felipe Caron e William, duas vezes. A rodada encerrou a primeira metade da 1.ª Fase, em que as equipes jogam fora de seus grupos.

“A gente estava vindo de três derrotas e isso estava abalando o grupo. Conversamos esta semana inteira e conseguimos uma virada em um jogo difícil”, afirmou o lateral/atacante William, autor dos dois últimos gols do Renô na partida. “A gente veio com uma motivação diferente, precisávamos que saíssemos com a vitória do jeito que desse”, completou o atacante Felipe Caron, autor de um gol e fundamental no lance-chave da partida, o gol de empate. O Renovicente é o vice-líder do Grupo B com 9 pontos.

Para o time do Vila Fanny, ficou acesa a luz de alerta de precisar melhorar nos duelos diretos, sendo o quarto do Grupo A, último a se classificar, com 8 pontos. “Temos um turno inteiro, cinco jogos para pensar. Temos potencial para reverter a situação. Precisamos sair desta maré, principalmente em casa”, afirmou o meio-campista Magu, autor do gol alvirrubro na partida.

Os dois times voltam a campo no próximo sábado (15), com os juvenis atuando às 13h30 e os adultos às 15h30. O Vila Fanny enfrenta o Bangu fora de casa, enquanto que o Renovicente faz duelo que pode valer a liderança da chave contra o Urano, em casa, no Solar do Bosque.

O jogo

O placar de 4 a 1 para o Renovicente não refletiu o equilíbrio visto no Ismael Gabardo durante a maior parte do jogo, que foi bastante brigado com o árbitro Elvio Kertelt Legnani tendo bastante trabalho com cartões.

Após um início lá e cá , o Vila Fanny começou a dominar ligeiramente as ações e foi premiado com o gol. O alvurrubro saiu na frente aos 33 minutos em cobrança de pênalti com categoria de Magu. O gol parecia que alteraria mais ainda o equilíbrio visto até então.

Porém, aos 40 minutos, o lance-chave do jogo aconteceu. A bola foi recuada para o goleiro Cesinha do Vila Fanny. Pressionado por Felipe Caron, o camisa 12 matou a bola mal e perdeu a posse para o atacante do Renovicente, que arrancou pela direita e colocou na cabeça de Willians, empatando a partida. “O campo estava seco e a bola quicando muito, então resolvi ir atrás e tive a sorte de roubar a bola”, explicou o camisa 11 do Renô após o jogo.

O empate abalou o Vila Fanny. A virada veio no segundo tempo em uma cobrança de pênalti que selou a expulsão do meia Leomar (que não é aquele), autor da penalidade, por dupla advertência. Na marca dos 11 minutos, Felipe Caron marcou e colocou o time visitante na frente.

O Renovicente cresceu no jogo e teve várias chances de ampliar. Quando o fez, aos 29 minutos, foi com estilo, num voleio de William após escanteio da direita.

Com vantagem de dois gols, a equipe visitante passou a espreitar o contra-ataque e a resistir às tentativas do Vila Fanny em encostar no marcador. E em um dos últimos lances deu certo… para o Renovicente. A puxada de contra-ataque encontrou William pronto para colocar na saída de Cesinha e fechar o placar aos 49 minutos.

Alalaô

Em pleno inverno curitibano, a temperatura do jogo ficou na casa dos 27 graus, também conhecido como calor extremo de verão curitibano. Com a umidade baixa, típica do mês de agosto, o árbitro paralisou a partida para pausas para reidratação nos dois tempos de partida.

Nos juvenis, vitória do Vila Fanny

Na preliminar, o Vila Fanny chegou aos 15 pontos em 18 disputados ao bater o Renovicente por 1 a 0. O gol da partida dos juvenis foi feito pelo centroavante Géderson, aos 30 minutos do segundo tempo, ao completar falta cobrada por Tiquinho.

Ficha Técnica

Vila Fanny 1 x 4 Renovicente

Estádio Ismael Gabardo, Vila Fanny, Curitiba

Vila Fanny: Cesinha; Marcinho (Valdir), Rogério, Marquinhos (André Ceará) e Bruno; Alex, Leomar, Magu e Joãozinho (Wallysson); Juliano e Zé Ricardo. Técnico: Nego.

Renovicente: Paulo; William, Lila, Dudu e Juliano (Raul); Ivan, Assuero (Pequeno), Bruno (Chapoca) e Ricardinho; Willians (Carlão) e Felipe Caron (Didi). Técnico: Rossano Santana (Não ficou à beira do campo, suspenso, com o time sendo comandado por Lucão)

Arbitragem: Elvio Kertelt Legnani, Fabrício da Silva Martins e Fernando César Tobias.

Gols: Magoo (FAN), aos 33’/1º; Willians (REN), aos 40’/1.º; Felipe Caron (REN), aos 11/2.º; Wiliam (REN), aos 26’/2.º e 49’/2.º.

Cartões amarelos: Marcinho, Leomar (2), Joãozinho (FAN). Paulo, Lila, Juliano, Assuero, Willians, Didi (REN).

Cartão vermelho: Leomar (FAN) (dupla advertência).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

3 Comentários

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro