Arquivo da tag: Novo Mundo

Trieste empata com Novo Mundo e levanta a taça da Suburbana Juvenil

Jogadores do juvenil do Trieste comemoram o título da Suburbana da categoria erguendo a taça de campeão

Jogadores do juvenil do Trieste comemoram o título da Suburbana da categoria erguendo a taça de campeão

Após vencer a ida por 2 a 0, o Trieste sagrou-se campeão da Suburbana Juvenil ao empatar por 1 a 1 com o Novo Mundo, na tarde de sábado (5), no Egydio Pietrobelli, na preliminar da decisão dos adultos entre Iguaçu e Santa Quitéria. Glonek marcou para o alvirrubro, enquanto que Vitor Hugo fez o gol do título do Tricolor da Colônia.

“A gente no começo estava muito avançado, com muita ansiedade e assim tomamos o gol. Mas depois  fiz o gol e saímos campeões. Dedico o título à minha família, ao Trieste e a todos que vieram aqui assistir”, afirmou o atacante Vitor Hugo, que, além do gol no Egydio Pietrobelli, havia feito os dois gols na ida realizada no Maurício Fruet.

O jogo

A partida começou com um ritmo bastante forte. Para o Novo Mundo, só a vitória interessava para que a decisão fosse para os pênaltis. E logo aos oito minutos de jogo a equipe da Zona Sul saiu na frente com gol de Glonek.

No entanto, a resposta do Trieste foi quase imediata com Vítor Hugo marcando o gol de empate aos 10 minutos. Era o resultado que o Trieste precisava para erguer a taça.

Após isso, o jogo tornou-se uma sequência de estocadas de lado a lado, o que poderia fazer a história mudar completamente. No entanto, os dois goleiros seguiram sem ser vazados, com o Trieste tendo de se segurar nos últimos minutos até o apito final e a comemoração do título.

Artilheiro

Com 16 gols marcados, Ian, do semifinalista Operário Pilarzinho, conquistou o troféu de artilheiro da competição.

Goleiro menos vazado

João Vitor do Trieste ficou com o prêmio de goleiro menos vazado da competição.

Confira imagens da partida

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comentários

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Em dia de Chuva, Santa Quitéria vence Novo Mundo de virada

Jogadores do Santa Quitéria comemoram gol de Adriano Chuva, abrindo a virada sobre o Novo Mundo

Jogadores do Santa Quitéria comemoram gol de Adriano Chuva, abrindo a virada sobre o Novo Mundo

Num campo molhado no Maurício Fruet, durante e após tempestade, Adriano Chuva teve seu dia de comandar o Santa Quitéria na vitória de 3 a 1, de virada sobre o Novo Mundo, em partida válida pela ida das semifinais da Suburbana. O resultado de sábado (14) deixou o time do lateral-esquerdo a um empate da decisão da Suburbana. Foi de Adriano Chuva o gol do empate e o cruzamento que virou a virada, marcado por Lela. Fernandinho ainda marcou para o Quitéria, enquanto que Lucas Batatinha fez o gol do Novo Mundo que abriu o placar.

“Coincidiu o tempo com meu apelido no futebol. Feliz por ter dado certo o Quitéria, tanto no coletivo individual. Sabemos que conseguimos uma pequena vantagem, mas tem jogo de volta. Respeitamos muito o time do Novo Mundo e sabemos que o Ivo [Petry] é um ótimo treinador e trabalha muito bem sua equipe”, afirmou Adriano Chuva.

“a gente viu aqui que pode fazer bom jogo. A gente errou muitas finalizações no primeiro tempo e tomou dois gols em bola parada. Temos total condição de reverter o resultado num campo melhor. Aqui tava ruim pros dois, mas desfavoreceu a gente que joga com a bola no pé no meio de campo”, disse Lucas Batatinha, autor do gol do Novo Mundo.

Os dois times voltarão a se enfrentar no próximo sábado, às 16h30, na Arena Vermelha. Um empate classifica o Santa Quitéria para a decisão. Como não tem saldo neste mata-mata, qualquer vitória do Novo Mundo leva a decisão para a prorrogação, em que o empate leva para os pênaltis. Na preliminar, às 14h30, nos juvenis, teremos Novo Mundo x Operário Pilarzinho, cujo jogo de ida você confere como foi mais embaixo nesta mesma reportagem.

O jogo

Durante a preliminar, uma tempestade caiu sobre o bairro do Santa Quitéria, molhando o campo, mas dando uma trégua no fim da partida. Porém, voltou a chover quando o time do Santa Quitéria entrou em campo e foi assim principalmente durante o primeiro tempo do jogo, o que deixou o campo do Maurício Fruet bastante enlameado e escorregadio.

Quem saiu na frente, dando um banho de água fria no torcedor que veio em bom número ao campo, foi o Novo Mundo. O goleiro Danilo, que substituiu Jonas, suspenso pelo terceiro amarelo, cometeu pênalti. Lucas Batatinha converteu a cobrança aos 16 minutos de jogo.

O Santa Quitéria sentiu o gol sofrido durante alguns minutos, mas foi se recolocando nos eixos, principalmente em cobranças de bola parada. Em uma delas, do lado direito, aos 36 minutos, Adriano Chuva bateu com perfeição e empatou a partida.

Com o placar empatado e os ânimos mais equilibrados, o Santa Quitéria começou a ter domínio do jogo. Na segunda etapa veio a virada. Após escanteio cobrado por Adriano Chuva, aos 10 minutos, Lela cabeceou para virar o marcador.

Na frente, o Santa Quitéria mostrou-se brigador no meio de campo e letal nos contra-ataques, enquanto que o Novo Mundo sentiu dificuldades na saída de bola. Foi em um contra-ataque que o terceiro gol veio, logo depois do segundo, aos 13 minutos. Fernandinho recebeu em velocidade pela direita e tocou na saída do goleiro Péricles.

Parabéns para você

Após a partida, os jogadores do Santa Quitéria deram um banho de lama no aniversariante do dia, o técnico Leandro Chibior, em frente à Torcida Taliban, que cantou “parabéns para você” ao comandante da equipe. Chibior teve duplo motivo para comemorar, tendo em vista a vitória da sua equipe.

Jogadores do Santa Quitéria dão os parabéns enlameados ao técnico Leandro Chibior

Jogadores do Santa Quitéria dão os parabéns enlameados ao técnico Leandro Chibior

Novo empate, mas menos gols nos juvenis

Na preliminar de juvenis, disputada entre Operário Pilarzinho e Novo Mundo, deu empate: 2 a 2. Foi um jogo bem corrido, com o Novo Mundo saindo na frente aos 9 minutos do 1.º tempo com Bueno de cabeça. O empate do Operário veio logo em seguida, aos 11, com Ramires acertando um forte chute na gaveta.

O Operário Pilarzinho virou o marcador logo aos 2 minutos do 2.º tempo com Yan cobrando pênalti. O placar foi definido com o empate do Novo Mundo por meio de jogada aérea finalizada por Léo Pereira aos 28 minutos.

Quem vencer a volta na Arena Vermelha leva a vaga para a decisão. Empate leva a decisão para os pênaltis.

Ficha Técnica:

Santa Quitéria 3 x 1 Novo Mundo

Estádio Maurício Fruet, Santa Quitéria, Curitiba

Santa Quitéria: Danilo; Luan (Renan), Lela, Bruno (Lima) e Adriano Chuva; Adam, Edinaldo Pedra, Fernandinho (Jacaré) e Gean; Jonatas Omelete e Robson (João Vítor). Técnico: Leandro Chibior.

Novo Mundo: Péricles; Paulo Sérgio, Samuca e Anderson (Dedé); Geraldo (Evandro), Dione (Marcelo), Hideo,  Mateus e Bruno; Gelson e Lucas Batatinha (Vaguinho). Técnico: Ivo Petry.

Arbitragem: Lucas Paulo Torezin, Ivan Carlos Bohn, Giovani M. de O. Massoquetto.

Gols: Lucas Batatinha (NMU), aos 16’/1.º; Adriano Chuva  (SQT), aos 36’/1.º; Lela (SQT), aos 10’/2.º; Fernandinho (SQT), aos 13’/2.º.

Cartões Amarelos: Danilo, Lela, Jonatas Omelete (SQT); Lucas Batatinha, Dedé (NMU).

Confira Imagens das Partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Com um a menos, Novo Mundo arranca empate do Urano no Manecão

Urano e Novo Mundo fizeram um jogo disputado no Manecão que acabou em mais um empate por 1 a 1

Urano e Novo Mundo fizeram um jogo disputado no Manecão que acabou em mais um empate por 1 a 1, repetindo o placar da 1.ª Fase

Num jogo bastante disputado, tendência do campeonato que se afunila, Urano e Novo Mundo ficaram no 1 a 1. O jogo deste sábado (3) no Manecão valeu pela abertura da 2.ª Fase da Suburbana. Richard marcou para o Urano e Marquinhos fez o gol do Novo Mundo, que jogou desde os 44 minutos do 1.º tempo com um jogador a menos após a expulsão de Geraldo.

“Queríamos a vitória, mas jogamos resto do primeiro e o segundo tempo com um a menos em um campo pequeno. O time foi valente e não foi o pior dos resultados. Agora é jogar em casa e buscar vitórias”, afirmou Marquinhos, autor do gol do Novo Mundo. “Infelizmente não conseguimos trabalhar a bola com um a mais e tomamos o gol no contra-ataque. Agora é trabalhar para jogar contra o Nacional e buscar a vitória. Futebol é assim: a bola pune e quem não faz leva”, afirmou Richard, autor do gol do Urano.

Com o resultado, Urano e Novo Mundo dividem a vice-liderança do Grupo C com um ponto, três a menos que o líder Iguaçu, que, além do ponto extra, venceu o Nacional por 1 a 0. Na próxima rodada, dia 10 de outubro, o Novo Mundo recebe o Iguaçu e o Urano visita o Nacional, com Nacional e Operário Pilarzinho, neste caso, fazendo a preliminar de juvenis. Juvenis entram em campo às 13h30 e adultos às 15h30.

O jogo

A primeira etapa começou com jogadas fortes e com o Urano assumindo as rédeas do jogo ao longo do tempo e as chances foram aparecendo. Aos 34 minutos, Richard aproveitou e abriu o marcador para a alegria da torcida da casa.

Aos 44 minutos, Geraldo, que tinha amarelo, levou o segundo, o que significou o cartão vermelho e a expulsão. Com isso, o Novo Mundo ficou com um a menos e parecia que não seria páreo para um Urano que mostrava confiança.

Porém, na segunda etapa, a coisa mudou de figura. O Urano passou a apostar muito em bolas esticadas e a defesa do Novo Mundo começou a se destacar e o time visitante a criar chances, mesmo com um jogador a menos. O gol saiu aos 26 minutos num lance bastante reclamado pelos jogadores do Urano, que viram impedimento de Marquinhos no lançamento em que recebeu e bateu para vencer Aracaju.

Nos juvenis, placar fechado entre Operário Pilarzinho e Novo Mundo

Na preliminar de juvenis, o Operário Pilarzinho (que acompanha o Urano na tabela da 2.ª Fase) e o Novo Mundo ficaram no 0 a 0. Foi um jogo bastante disputado entre duas das melhores equipes da 1.ª Fase (o Novo Mundo inclusive começou a fase com um ponto extra por ter sido o campeão de seu grupo).

O resultado pareceu melhor assimilado pelo Operário Pilarzinho que, mesmo tendo um jogador expulso no início do 2.º tempo, criou muitas das melhores chances de sair com a vitória.

Haja gente para embalar

Alguns nomes são moda em algumas épocas. Daqui a alguns anos nos juvenis da Suburbana, teremos vários Lorenzo, Enzo, Enrico, Antônio e Joaquim. Assim como já tivemos uma estação com muitos Rafael e outros nomes mais populares entre os pais. A categoria juvenil da Suburbana é atualmente para jogadores nascidos em 1998, 1999 e 2000. No time do Novo Mundo, surgiu uma interessante constatação a respeito da composição da equipe: cinco jogadores chamados Mateus ou Matheus entre os 18 relacionados. Provavelmente efeito Bebeto neles.

Quase que foi…

Quem for conferir nosso slideshow com mais de cem imagens das partidas ali no fim do post irá dar falta de algumas fotos que normalmente estão lá: os times e a arbitragem posados. O motivo é que nosso equipamento teve uma senhora falha crítica no entrejogos, mas foi reanimado após alguns minutos, a despeito de um grande temor de que iria para o céu dos equipamentos eletrônicos, e seguiu com a bola rolando.

Ficha Técnica:

Urano 1 x 1 Novo Mundo

Estádio Manoel Garcia de Andrade (Manecão), Vila São Pedro, Xaxim, Curitiba

Urano: Aracaju; Gleisson (Dionathan), Nathan, Wissan e Flavinho; Neguinho, Massai e Mikael (Pulga); John; Adriano Marmita (Diego) e Richard. Técnico: Serginho Jordão.

Novo Mundo: Jansen; Gean (Marquinhos), Paulo Sérgio e Muriel; Bruninho, Matheus, Geraldo, Hideo e Anderson; Gelson e Lucas Batatinha (Dione). Técnico: Ivo Petry.

Arbitragem: Cristian Eduardo Gorski da Luz, Deniel Carvalho e Giovani M. de O. Massoquetto.

Gols: Richard (URA), aos 34’/1.º; Marquinhos (NMU), aos 26’/2.º.

Cartões Amarelos: Neguinho, Adriano Marmita, Richard (URA); Paulo Sérgio, Muriel, Matheus, Geraldo (NMU).

Cartão Vermelho: Geraldo (NMU), aos 44’/1.º (dupla advertência).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comentários

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Empate agridoce mantém invencibilidades de Novo Mundo e Urano

Empate por 1 a 1 na Arena Vermelha manteve Urano na liderança de sua chave e fez com que Novo Mundo chegasse a impressionantes quatro empates em quatro jogos.

Empate por 1 a 1 na Arena Vermelha manteve Urano na liderança de sua chave e fez com que Novo Mundo chegasse a impressionantes quatro empates em quatro jogos

Se tivesse um sabor para definir o empate entre Novo Mundo e Urano por 1 a 1, sábado (25), na Arena Vermelha, seria o agridoce. Para o time da casa, a doçura esteve no gol em cima da hora, 45 minutos do segundo tempo, marcado por Lucas Batatinha, o amargor esteve nos pontos perdidos em casa e na vitória que não veio após quatro rodadas. Para o Urano, a doçura esteve no resultado fora de casa e na manutenção da liderança da chave mesmo após um jogo duro em gramado pesado no meio da semana. O amargor esteve nas circunstâncias de ficar 86 minutos da frente desde o gol de Richard aos 4 minutos. Doce para ambos foi a invencibilidade mantida e um bom espetáculo para os torcedores que foram ao estádio.

“Esse empate foi muito ruim para a gente. Queríamos ganhar em casa, mas tomamos um gol logo no começo. E só deu a gente no jogo. Eles tiveram chances no contra-ataque só”, afirmou Lucas Batatinha, autor do gol do Novo Mundo e que havia jogado o último Campeonato Cearense pelo Icasa. “Infelizmente tomamos gol de empate no final, mas está de bom tamanho, pois temos agora dois jogos em casa. A gente está pensando mesmo como time pequeno, trabalhando e o que vier é lucro”, completou Richard, autor do gol do Urano.

As duas equipes voltam a campo no próximo sábado (1.º de agosto), com juvenis às 13h30 e adultos às 15h30. O Urano recebe o Vila Fanny no Manecão, enquanto que o Novo Mundo vai ao Santa Cândida, na Zona Norte, enfrentar o Renovicente.

O jogo

O Urano começou com mais ímpeto e conseguiu abrir o placar logo aos 4 minutos de jogo com boa finalização de Richard após jogada de Massai pela direita. A equipe do técnico Serginho Jordão fez uma blitz nos primeiros minutos de partida e poderia ter ampliado. Porém, perdeu seu lateral-direito Diego, aos 26 minutos, por lesão, tendo de improvisar o meio-campista Gleisson na função. Com isso, o ímpeto foi esfriando e o Novo Mundo, ainda que com dificuldades de ultrapassar a defesa azul, adonou-se do jogo.

O técnico Ivo Petry, insatisfeito com o desempenho no primeiro tempo, mexeu duas vezes no intervalo, colocando Danilo e Bruninho. Isso aliado ao desgaste do Urano colocou o Novo Mundo ainda mais na pressão. Com isso, o goleiro Yuri passou a se destacar na partida com importantes defesas. Do outro lado, Richard teve a chance de matar a partida aos 26 minutos, ao sair no mano a mano com o zagueiro e chutar da entrada da área sobre o gol defendido por Péricles.

Quando a partida parecia se encaminhar para para a terceira vitória do Urano, segunda fora de casa, em quatro partidas, uma rebatida mal feita próxima da área virou chance de cruzamento rasteiro da direita que encontrou Lucas Batatinha no lado esquerdo da área, empatando aos 45 minutos do segundo tempo.

Sem a camisa 11

O Urano entrou sem nenhum jogador com a camisa 11. Foi uma homenagem ao atacante Willian, que está fora da Suburbana devido a uma grave fratura dupla na perna. Com isso, o substituto dele, Adriano Marmita, usou a 19. Novamente os jogadores do Azulão posaram com uma faixa em apoio ao atacante lesionado.

Tem que ver isso aí

O Novo Mundo utilizou um belo uniforme com um vermelho bem vivo com algo difícil de ver até em clubes profissionais do Brasil: número da frente da camisa. O design, inclusive, lembra o do segundo uniforme da seleção dos Emirados Árabes de uns anos atrás. Porém, com o passar do jogo notou-se um curioso erro em duas das camisas. A camisa que levava o número 4 às costas estava com o número 2 à frente e a que levava o número 2 às costas estava com o número 4 à frente.

Novo Mundo goleia nos juvenis

Na preliminar da categoria juvenil, o Novo Mundo goleou o Urano por 4 a 1. Logo aos 4 minutos, Mateus Batista abriu o placar para o time da casa. Felipe Maldini ampliou aos 26 minutos. No segundo tempo, o time alvirrubro marcou o terceiro aos 12 minuto com Leonardo. Logo depois, aos 15 minutos, Pedro descontou para o Azulão. Porém, aos 24 minutos, Mateus Batista deu números finais ao duelo.

Ficha Técnica:

Novo Mundo 1 x 1 Urano

Estádio Orlando Rinaldin (Arena Vermelha), Novo Mundo, Curitiba

Novo Mundo: Péricles; Paulo Sérgio, Otávio e Samuca; Dione (Bruninho), Geraldinho, Hélton (Danilo), Matheus (Evandro) e Anderson; Vaguinho (Marcelo) e Lucas Batatinha. Técnico: Ivo Petry.

Urano: Yuri; Diego (Eduardo Felipe), Wissan, Nathan e Flavinho; Robinho, Gleisson (Dionathan), Massai e Maicon; Richard e Adriano Marmita (Pulga). Técnico: Serginho Jordão.

Arbitragem: Leandro Barros Nunes, Rafael Dias de Melo e Marco Aurélio dos Santos.

Gols: Richard (URA), aos 4’/1.º; Lucas Batatinha (NMU), aos 45’/2.º.

Cartões amarelos: Danilo (NMU). Maicon (URA).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comentários

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Título juvenil é pontapé inicial para reconstrução do Combate Barreirinha

Dedé, à esquerda, é abraçado por dirigente do Combate Barreirinha. Treinador formou com Eliseu a dupla de técnicos que levou o time do Extremo Norte de Curitiba ao título da Suburbana Juvenil

Dedé, à esquerda, é abraçado por dirigente do Combate Barreirinha. Treinador formou com Eliseu a dupla de técnicos que levou o time do Extremo Norte de Curitiba ao título da Suburbana Juvenil

O título da categoria juvenil da Suburbana conquistado sábado (13), na preliminar da segunda partida decisiva da Suburbana, pelo Combate Barreirinha é encarado como um recomeço para o clube. Rebaixado na categoria adulta, o Tricolor jogará a Segundona em 2015 e isso inclui o time de sub-18, mesmo com o título da Série A. Da atual equipe, vários jogadores tendem a subir para a equipe principal, que deverá ser reconstruída.

“Primeiro agradecer a Deus pela oportunidade de estar trabalhando com essas pessoas. O Eliseu, o presidente, jogadores, totalmente agradecido. Creio eu que é um novo recomeço para o Combate. Viemos sim para fazer história, viemos para revolucionar o Combate novamente e recolocá-lo no seu devido lugar. Agradecido pelo apoio de todo mundo e a essa galera que merece muito”, afirmou o técnico Dedé, que junto com o também técnico Eliseu, formou uma curiosa dobradinha de comandantes. “A gente merecia. A gente veio trabalhando o ano inteiro e valeu a pena”, completou o capitão e goleiro Matheus, de 17 anos, enquanto se dirigia para a premiação que lhe rendeu também o prêmio de goleiro menos vazado.

Matheus foi o capitão a erguer a taça para o Combate Barreirinha e também o goleiro menos vazado da competição

Matheus foi o capitão a erguer a taça para o Combate Barreirinha e também o goleiro menos vazado da competição

 

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Sobrevivente, Combate Barreirinha vence nos pênaltis a Suburbana Juvenil

Capitão do Combate Barreirinha e fundamental nos pênaltis, o goleiro Matheus levanta a taça de campeão

Capitão do Combate Barreirinha e fundamental nos pênaltis, o goleiro Matheus levanta a taça de campeão

O ano de 2014 foi péssimo para o time adulto do Combate Barreirinha. Lanterna da competição e rebaixado já na penúltima rodada da 1.ª fase, o tradicional time de tantos títulos terá de jogar a Segundona da Suburbana de 2015. Como alento, o Tricolor da Barreirinha poderá renovar sua equipe com os campeões da Suburbana na categoria juvenil, que reúne atletas sub-18. O título veio após vitória nos pênaltis sobre o Novo Mundo por 3 a 2, na tarde deste sábado (13), no Bortolo Gava, na preliminar da segunda partida da decisão da Suburbana entre Operário Pilarzinho e Nova Orleans.

No tempo normal, o Combate, que havia vencido a ida na casa do Novo Mundo por 1 a 0, gol de Fábio, viu o resultado ser devolvido com gol de Sauer, para o Novo Mundo, aos 14 minutos do 2.º tempo. Na marca da cal, o Combate chegou a estar perdendo por 2 a 0, mas duas defesas de Matheus ajudaram ao time do Extremo Norte de Curitiba a levar a taça.

Viradas

A virada na decisão dos pênaltis não foi a única do Combate Barreirinha na competição. Nas semifinais, o clube foi eliminado em campo ao perder duas vezes para o Trieste por 1 a 0 e 2 a 0. Porém, o time de Santa Felicidade errou as contas dos cartões e escalou um jogador que estava suspenso, perdendo seis pontos e a vaga na decisão. Renascido, o Combate Barreirinha partiu para o título.

Suécia, Prudentópolis e Barreirinha

O Combate usou de uma forma de comando que pode parecer estranha, mas já foi usada até em Copa do Mundo: dois técnicos. A Suécia tinha Lars Lars Lagerbäck e Tommy Söderberg na casamata na Copa de 2002. Mais regional foi o Prudentópolis em sua boa campanha no Paranaense deste ano, com Ivair Cenci e Joel Preissner dividindo a responsabilidade no comando. O Combate Barreirinha foi campeão com dois técnicos orientando o time simultaneamente: Eliseu e Dedé.

Romênia da Suburbana

Por serem atletas nascidos em 1997, 1998 e 1999, alguns não eram nascidos, mas o  Novo Mundo, vice-campeão, repetiu uma fórmula da seleção romena de 1998: o descolorimento capilar. A maior parte dos atletas e até membro da comissão técnica adotou o platinado na cabeça. A combinação chamou a atenção no uniforme vermelho do time da Zona Sul, que guardou semelhanças com um dos uniformes do time romeno.

 

Confira as imagens da partida

Este slideshow necessita de JavaScript.

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro