Vila Sandra e Capão Raso se reabilitam na Copa de Futebol Amador

Após derrotas em suas estreias, Vila Sandra (E) e Capão Raso (D) reencontram a vitória na Copa de Futebol Amador

Após derrotas em suas estreias, Vila Sandra (E) e Capão Raso (D) reencontram a vitória na Copa de Futebol Amador

A rodada deste sábado (9) no José Carlos de Oliveira Sobrinho marcou a reabilitação de duas equipes na Copa de Futebol Amador da Capital. Pelo Grupo B, na preliminar, o Vila Sandra bateu o Imperial em um bom jogo por 3 a 1. Pelo Grupo A, no jogo de fundo, o Capão Raso suou para bater o Vila Fanny por 2 a 1 em uma partida em que chegou a ter dois jogadores a mais em campo.

Agora, no Grupo A, o Vila Fanny caiu para a segunda posição, com três pontos, saldo zero e cinco gols marcados, números rigorosamente iguais ao Palmeirinha, com o Capão Raso na quarta colocação com mesmo número de pontos e mesmo saldo, mas apenas três gols marcados. No Grupo B, o Vila Sandra é o quarto colocado com três pontos, enquanto que o Imperial é o quinto colocado com nenhum ponto e saldo -3.

Os times envolvidos nesta rodada dupla voltam a campo no próximo sábado, dia 16. O Capão Raso joga às 14 horas contra o Palmeirinha na Arena Vermelha. É o mesmo horário de União Ahu x Vila Sandra no XV de Agosto e de Vila Fanny x Grêmio Ipiranga no Octávio Sílvio Nicco, estádio que recebe às 16 horas o duelo entre o Imperial e o Sergipe.

Vitória pelos pés de Maranhão

No primeiro jogo da tarde, Vila Sandra e Imperial vinham de derrotas na estreia e fizeram um bom espetáculo com vitória alvinegra por 3 a 1.

O placar foi aberto aos 19 minutos da etapa inicial pelo Vila Sandra, quando Pedro lançou Adriano e o camisa 11 ganhou na velocidade da defesa para bater na saída de Júlio. O empate veio ainda na primeira etapa aos 38 minutos, com o zagueiro Diego aproveitando de cabeça o rebote da falta batida por Roberto no travessão.

No primeiro minuto da segunda etapa, Pedro do Vila Sandra e Cairo do Imperial trocaram gentilezas em forma de cotoveladas e sopapos e acabaram expulsos pelo árbitro Rodrigo Posser Borges. Com dez para cada lado, o técnico do Vila Sandra, Jackson Queiroz, resolveu apostar na velocidade do jovem Maranhão, de 21 anos. O baixinho entrou aos 14 minutos e passou a infernizar a defesa do Imperial especialmente em bolas esticadas.

E foi com Maranhão, aos 23 minutos, que o Vila Sandra voltou a liderar o placar. O camisa 34 arrancou pela direita, fez um carnaval na defesa e bateu na saída de Coxinha. Com isso, o Imperial passou a pressionar, dando o contra-ataque ao Vila Sandra, do jeito que o Maranhão gosta. Foi assim aos 46 minutos que o placar foi fechado: Maranhão novamente arrancou pela direita, limpou a defesa e deixou Robinho livre para marcar.

“Graças a Deus, time que a gente tem passando por este sufoco. Entramos e demos conta do jogo, como os que entraram. Todos jogaram bem e vamos com mais vantagem na próxima partida”, afirmou Maranhão, festejado pela barulhenta torcida do Vila Sandra após o apito final.

Do lado do Imperial, uma situação curiosa. O técnico Pastor vestiu uniforme de jogo. Estava inscrito e inclusive atuou na estreia. Desta vez, ficou apenas do lado do campo vestindo a camisa 16. “[Vida de quase entrar em campo e ficar como treinador] É uma vida boa, jogo é isso. Eles foram felizes, tiveram três oportunidades e concluíram. Futebol é isso, um dia a gente ganha e outro a gente perde, mas o time não jogou bem dentro do que pode jogar, mas faltou perna, tão voltando agora. Nosso time cansou no segundo tempo. Ainda dá para salvar, se vencermos os três jogos, nós estamos dentro”, disse o jogador/treinador do time do Mossunguê.

Festival de cartões no jogo de fundo

Treze cartões, contando com os dois amarelos que viraram vermelhos: foi o balanço disciplinar da vitória do Capão Raso sobre o Vila Fanny por 2 a 1. Fora as punições disciplinares, foi um jogo bem disputado, mesmo no segundo tempo, quando o Fanny ficou numericamente inferiorizado diante do time da casa, mas não se acovardou, dando sufoco no Tricolor de Aço.

Os primeiros minutos de jogo foram marcados por muitos erros de passe e ansiedade dos times. Tanto Vila Fanny quanto Capão Raso procuravam esticar o jogo sem resultados. A maior força do Vila Fanny, por exemplo, era a maior fraqueza: o apoio com o estreante lateral-direito Buiú, ex-Trieste, ainda distante do ritmo de jogo do auge da temporada passada, foi eficaz, mas curiosamente suas subidas deixavam espaço para a contra-carga do Tricolor de Aço.

No entanto, não foi por ali que o placar foi aberto pelo Capão Raso. Em jogada pela direita de seu ataque, Sabonete tentou, a bola foi cortada, sobrou para Wescley, que não matou bem, sobrando de volta para Sabonete, aos 47 minutos, abrir a contagem.

No segundo tempo, o Vila Fanny ficou cedo com um a menos, quando o zagueiro Elísio tomou seu segundo amarelo e foi expulso. Era a deixa para o Capão Raso crescer? Não! Logo aos 6 minutos, Anderson cobrou falta na cabeça do grandalhão Dinda, que empatou a partida.

Precisando de sangue novo, o auxiliar técnico Romário (o técnico Nego ficou de fora cumprindo suspensão) colocou o jovem Gederson, 18 anos, vice-artilheiro da última Suburbana Juvenil com 14 gols, no lugar de Dinda. O garoto, em sua segunda partida pelo adulto, teve duas boas chances para marcar parando no bom goleiro Gêneses do Capão Raso.

No entanto, a estratégia do time Alvirrubro foi por água abaixo aos 33 minutos, quando Marquinhos cometeu pênalti em Wescley e recebeu o segundo amarelo, sendo expulso e reduzindo o Vila Fanny a apenas nove jogadores. Bruninho, aos 34 minutos, converteu o pênalti e deu números finais à partida.

Para o camisa 10 Sabonete, o Capão Raso poderia ter evitado todo o sufoco que passou e não ter corrido tantos riscos com dois a mais em campo. “Nosso time não soube aproveitar os espaços, faltou tocar. Capão Raso poderia ter tocado mais a bola, mas por outro lado a gente conseguimos  somar os três pontos”, analisou.

Para Dinda, autor do gol do Fanny, as expulsões acabaram pesando. “Hoje em dia jogar com um a menos é difícil. Principalmente contra eles em casa e precisando de resultado. Foi pênalti ali bem marcado e mereceram vitória, pois jogaram melhor no segundo tempo. Agora, precisamos trabalhar na quinta para entrosarmos logo. Brio nunca faltou no Fanny, sempre foi um time aguerrido. Se não vai ninguém expulso, a gente complicaria eles”, disse o camisa 9, que elogiou o jovem Gederson. “Ele vem do jogo passado, jogou comigo e fez boa partida. É umarevelação boa que o Fanny aposta para no futuro vestir a camisa 9”, concluiu.

Não chegou

O Capão Raso teve apenas três jogadores no banco, mas esperava um quarto, que não chegou. Ele se chamava João.

Saindo rápido para casamento

O zagueiro Couto do Capão Raso passou por uma situação curiosa. A esposa do atleta negociou com a comissão técnica para que ele jogasse apenas um tempo, pois a família fora convidada para um casamento.

Fichas técnicas das partidas:

Rodada dupla do Estádio José Carlos de Oliveira Sobrinho, Novo Mundo, Curitiba

Vila Sandra 3 x 1 Imperial

Vila Sandra: Coxinha; Cristiano (Rafael), Marcão, Vinícius e Matusalém (Dedé); Daniel, Hítalo (Leandro), Pedro e Mineiro (Rodriguinho); Zé Ricardo (Rodinho) e Adriano (Maranhão). Técnico: Jackson Queiroz.

Imperial: Júlio; Luciano, Tiago (Dênis), Diego e Dega (Toby Love); Cairo, Abimael, Zeti (Caíque) e Douglinhas; Samuel e Roberto (Murilo(. Técnico: Pastor.

Arbitragem: Rodrigo Posser Borges, Leandro Polli Gligoski e Simone Nascimento.

Gols: Adriano (VSA, aos 19’/1.º), Diego (IMP, aos 38’/1.º), Maranhão (VSA, aos 23’/2.º), Robinho (VSA, aos 46’/2.º)

Cartões Amarelos: Reginaldo, Maranhão (VSA); Júlio, Roberto, Caíque (IMP). Cartões Vermelhos: Pedro (VSA, aos 1’/2.º), Cairo (IMP, aos 1’/2.º).

Capão Raso 2 x 1 Vila Fanny

Capão Raso: Gêneses; Roger, Fabrício, Couto (Lincoln) e Cleverson; Xuxa, Lipe e Feijão; Sabonete, Wescley e Bruninho (Alex). Técnico: Junior Saurin.

Vila Fanny: Flávio; Lela, Elísio e Marquinhos; Buiú (Fulvio), Johnny, Anderson, Guelo (Wallison) e Rafael; Bruninho e Dinda (Gederson). Técnico: Nego (suspenso, teve o auxiliar Romário no banco)

Arbitragem: João Paulo Kirchner, Leandro Polli Gligoski e Simone Nascimento.

Gols: Sabonete (UCR, aos 47’/1.º), Dinda (VFA, aos 6’/2.º), Bruninho (UCR, aos 34’/2.º).

Cartões Amarelos: Roger, Fabrício, Xuxa, Lipe, Lincoln (UCR); Lela, Elísio, Marquinhos, Rafael (VFA). Cartões Vermelhos: Elísio (VFA, dupla advertência aos 3’/2.º), Marquinhos (VFa, dupla advertência aos 33’/2.º)

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Uma resposta para “Vila Sandra e Capão Raso se reabilitam na Copa de Futebol Amador

  1. Pingback: Placar da Rodada – Copa de Futebol Amador | Futebol Metrópole

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s