Guia das Cidades – Paranaense 2015 – Curitiba

3-Ctba

Hoje, no Futebol Metrópole, na segunda parte de nosso Guia das Cidades do Paranaense 2015, teremos Curitiba, capital do estado e única cidade com mais de um time na competição, logo quatro; Coritiba, Atlético, Paraná e J. Malucelli. São três equipe que estão sempre os favoritos e outra que fez alguns investimentos interessantes para a competição que começa no dia 31.

Curitiba fica no 1.º Planalto Paranaense, região entre a Serra do Mar e a Serrinha do Purunã. Segundo dados de 2013 do IBGE, tem 1.848.946 habitantes, sendo que a Região Metropolitana possui 3.429.888 pessoas segundo a mesma projeção. É o segundo mais antigo município do Paraná, tendo sido fundado em 29 de março de 1693 com o nome de Vila de Nossa Senhora da Luz e Bom Jesus dos Pinhais de Curitiba (ninguém mais vai reclamar no nome do Jan Venegoor Of Hesselink). Mas antes, já por volta de 1660 já havia assentamentos originados da busca pelo ouro, descoberto antes em Paranaguá.

Com os anos, Curitiba foi crescendo, passando por vários ciclos econômicos. O ciclo da erva-mate, por exemplo, coincidiu com a emancipação do estado, em 1853, e fez da cidade, importante polo de processamento, capital do estado. A erva-mate propiciou a primeira industrialização da cidade, na região do Rebouças. A segunda onda veio nos anos 70, com a criação da Cidade Industrial de Curitiba (CIC) e a terceira, a partir dos anos 90, afetou principalmente a região metropolitana. A cidade é conhecida pela atividade industrial, setor de serviços e por inovações urbanísticas como o sistema de BRT, que foi criado e implantado inicialmente na cidade. As principais atrações turísticas são os diversos parques espalhados pelo município e regiões gastronômicas como os bares do Centro Histórico e os restaurantes de Santa Felicidade. Curitiba é também a terra dos Costelões 24 Horas, onde, há qualquer hora do dia, pode-se comer costela assada com acompanhamentos.

Estádios notáveis

ArenadaBaixada

Estádio Joaquim Américo Guimarães, a Arena da Baixada

 

Mais antigo e mais novo ao mesmo tempo. O Joaquim Américo Guimarães, conhecido pela alcunha de Arena da Baixada, está no atual local desde 1914. Teve várias encarnações: arquibancada de madeira, de cimento, remodelação de 1994, Arena de 1999 e a remodelação para a Copa do Mundo de 2014. É a casa do Atlético Paranaense e tem capacidade para 43 mil pessoas.

Estádio Major Antônio Couto Pereira. Note que a imagem do Google Maps não apresenta ainda o Setor Pro-Tork, na reta da Mauá, inaugurado em 2014

Estádio Major Antônio Couto Pereira. Note que a imagem do Google Maps não apresenta ainda o Setor Pro-Tork, na reta da Mauá, inaugurado em 2014

Inaugurado em 1932 ainda com o nome de Belfort Duarte, o Couto Pereira (nome do militar cearense que presidiu o Coritiba e idealizou o estádio) foi crescendo por anos, sendo por alguns dele o maior do estado, título que perdeu recentemente para a Arena da Baixada. A melhoria mais recente foi o Setor Pró-Tork, na reta da Mauá, com novos camarotes e cadeiras. é a casa do Coritiba e a capacidade está em 40.502 lugares.

VilaCapanema

Estádio Durival Britto e Silva, a Vila Capanema

Inaugurado em 1947, a Vila Capanema foi sede de duas partidas na Copa do Mundo de 1950. A propriedade do estádio variou de acordo com as fusões dos clubes. Primeiro foi do Ferroviário, depois do Colorado e hoje do Paraná Clube. Sua última ampliação foi em 2007, quando foi construída a Curva Norte e novos camarotes na Reta do Relógio. Tem capacidade para 20.083 torcedores.

VilaOlímpica

Estádio Presidente Erton Coelho de Queiroz, a Vila Olímpica do Boqueirão

Inaugurado em 1983, era inicialmente a casa do Pinheiros, que se fundiu ao Colorado e deu origem ao Paraná Clube. Inspirado em alguns estádios argentinos, foi casa das categorias de base e mais recentemente recebeu treinamentos. Em 2013, alguns jogos foram no campo do Boqueirão. Chegou a abrigar 18 mil torcedores, foi diminuído para 16 mil e hoje comporta 8 mil em virtude do não uso do segundo anel, pois os acessos são inadequados.

Pinheirão

Centro Poliesportivo Pinheirão

 

O Pinheirão pode ser chamado de ex-estádio. Projetado para ser gigante, não saiu completamente do papel. Foi causador de muitas dívidas para a Federação e muita dor de cabeça para quem o usou. Inicialmente, teria 200 mil lugares. Foi inaugurado para 45 mil, que viraram 23 mil na última remodelação. Sem time jogando, acabou sendo lacrado em 2007 por falta de condições. Em 2013 foi leiloado para abater dívidas da FPF. O novo dono, o empresário João Destro, ainda não definiu o que fazer com esse tal Pinheirão.

Eco-Estádio Janguito Malucelli. Note que no Google Maps está ainda com as arquibancadas temporárias que aumentaram a capacidade do local entre 2012 e 2013

Eco-Estádio Janguito Malucelli. Note que no Google Maps está ainda com as arquibancadas temporárias que aumentaram a capacidade do local entre 2012 e 2013

Talvez o mais inusitado estádio do país. inaugurado em 2007 tem assentos colocados sobre a encosta de um morro. Tem capacidade para 4.200 torcedores e é a casa do J. Malucelli. Teve ampliação temporária entre 2012 e 2013 para sediar jogos do Atlético, que não tinha outras opções de estádio durante as reformas da Arena da Baixada para a Copa do Mundo de 2014.

Times da cidade (em ordem de fundação)

logo-cfc-g

O Coritiba foi fundado em 12 de outubro de 1909, inicialmente como clube da colônia alemã e depois se tornando um clube popular. Mais antigo time de futebol da cidade, é o único que participou de todos os campeonatos paranaenses desde o início, 1915. E junto com o Rio Branco é o único remanescente da primeira edição. Tem como principais títulos o Brasileiro de 1985, as Séries B de 2007 e 2010 e 37 campeonatos paranaenses, o último em 2013.

Até o momento, a contratação de maior valor sentimental para o torcedor coxa-branca é o retorno do meia Pedro Ken, que é prata da casa e estava no Cruzeiro. É a oportunidade de tentar recolocar a carreira nos eixos no clube que o revelou. Olho também em outro jogador que quer recuperar a carreira, o veloz atacante Negueba. Marquinhos Santos é o técnico.

O Coritiba lidou recentemente com a despedida de duas lendas suas. Alex, encerrou a carreira de jogador, como capitão e camisa 10 do clube que torce e o revelou. Outra lenda, o zagueiro Aroldo Fedatto, defendeu o clube nos anos 40 e 50, tornando-se sinônimo de Coritiba. Ídolo que mereceu todas as referências, inclusive de Alex, morreu aos 88 anos em setembro de 2013.

atletico-paranaense-83feb

Fundado em 26 de março de 1924, o Atlético tem raízes que remontam a 1912, quando foi fundado o Internacional, primeiro campeão paranaense, em 1915. O Internacional teve uma dissidência esportiva, o América, de onde saiu uma rivalidade. Com o domínio do Britânia entre 1918 e 1923, os rivais se fundiram e deram origem ao Rubro-Negro da Baixada. Os maiores feitos atleticanos são o Brasileirão de 2001, a Série B de 1995 e 22 títulos paranaenses, o último em 2009.

Pela terceira temporada consecutiva, o Atlético não usará a equipe principal no Paranaense. O time Sub-23 vestirá a camisa e entrará em campo. Como o nome sugere, é um time formado principalmente por jovens (alguns extrapolam os 23 anos, mas são exceções). Do grupo que se apresentou para a disputa dois destaques. O primeiro é o lateral-esquerdo Héracles, que retorna após grave lesão que quase custou o fim da carreira. Outro é o atacante Gustavo Marmentini, que esteve emprestado à Liga Indiana e chamou a atenção ao fazer um golaço com fila pelo Delhi Dynamos. Enquanto a equipe principal é treinada por Claudinei Oliveira, é de Marcelo Vilhena a responsabilidade pelo Sub-23.

Nos dois últimos anos, o Atlético perdeu duas de suas lendas, que são lendas do futebol brasileiro também: Djalma Santos e Bellini, que encerraram a carreira na Baixada com status de ídolos. O Furacão segue com duas lendas vivas. O mais velho é Jackson, o grande craque do Furacão de 1949, que está com 90 anos e bastante lúcido. Outra lenda é Sicupira, maior artilheiro da história do clube, com 157 gols, e que aos 70 anos é comentarista de rádio.

escudoparana

O Paraná Clube é relativamente jovem, sendo fundado em 19 de dezembro de 1989. Porém, a história do Tricolor tem suas raízes a partir de 1912, quando foram fundados seus primeiros antecessores. Vamos usar um organograma para entender a história das fusões que deram origem ao Paraná (incluindo clubes que foram mudando de nome):

Paranarvore

Os principais títulos do Paraná são as Séries B de 1992 e 2000 (Módulo Amarelo da João Havelange), além de sete estaduais, o último em 2006.

Para o Paranaense, o Paraná está contendo gastos, mas uma contratação chama a atenção: o volante Marcos Paulo, ex-Coritiba. Com o retorno de Ricardo Conceição, tem tudo para ser uma dupla qualificada de volantes.

Por ser um clube jovem, o Paraná tem duas lendas na ativa: o goleiro Marcos e o meia Lúcio Flávio. Além deles, vale destacar o ex-meia Ricardinho, que deixou de ser recentemente o técnico da equipe, e o ex-atacante Saulo, maior artilheiro da história do clube com 104 gols.

J-Malucelli-novo1

O J. Malucelli é outro clube jovem. Foi fundado em 20 de dezembro de 1994 sob o nome de Malutrom. O nome atual veio em 2005. Entre 2009 e 2012, fez parceria com o Corinthians, virando Corinthians Paranaense, voltando ao nome anterior após o fim da parceria. Tem como maior título, ainda sob o nome de Malutrom, a Série C de 2000 (a decisão dos Módulos Verde/Branco da João Havelange).

O time para 2015 tem algumas aquisições interessantes como o meia Netinho (ex-Atlético), o lateral-direito Cristovam (ex-Arapongas) e o atacante Reis (ex-Ponte Preta). O técnico da equipe é Ari Marques.

A juventude do clube permite que suas lendas estejam por aí. O meia Tcheco foi o capitão do time que levantou o Módulo da João Havelange. É atualmente membro da comissão técnica do Coritiba. O volante Jucilei está na ativa no Mundo Árabe e foi a maior venda da história da equipe. Bruno Batata é o centroavante da atual equipe e é sinônimo de J. Malucelli no Campeonato Paranaense.

 

 

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Metrópole adentro

2 Respostas para “Guia das Cidades – Paranaense 2015 – Curitiba

  1. Sonny Anderson

    Se tiver o matagal no Pinheirão ainda, o legal é que podem brincar de esconde esconde, corrida na selva, paintball, tarzan, entre outros na pré-temporada. No atletismo, prova com obstaculos..tipo uma árvore.

    Curtir

  2. Pingback: Guia das Cidades – Paranaense 2015 – Índice | Futebol Metrópole

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s